Arquivo de janeiro, 2013

MANIFESTO DE APOIO AO JORNALISMO DE A GAZETA SOBRE O CASO MARANATA

Manifesto de apoio ao jornalismo a gazeta caso maranata

Manifesto de apoio ao jornalismo a gazeta caso maranata

À direção do jornal A Gazeta e em especial às jornalistas Letícia Cardoso e Vilmara Fernandes,

Parabéns pela coragem!

No nosso dia-a-dia, precisamos vencer várias batalhas, algumas conhecidas, porque são reincidentes na rotina de cada um, e outras que simplesmente parecem que vem ao nosso encalce, sem muitas vezes entendermos o porquê.

O conhecimento dos obstáculos a serem superados pode ser fator preponderante para a vitória em uma batalha.

O escândalo da subtração dos dízimos na Maranata é um fenômeno que aparenta ser igual aos outros, pois a consequência foi a mesma: favorecimento de interesses particulares em detrimento das necessidades da membresia da denominação, contudo as reações dessa mesma membresia, que sem sombra de dúvidas foi lesada, evidencia uma paixão incondicional à instituição, a partir do momento em que não se revolta contra o furto dos valores, mas com a mídia que veicula informações a respeito do suposto esquema.

A tarefa das nobres jornalistas citadas não é fácil!

A começar pela premiada reportagem “Da Fé à Fraude”, que passou a divulgar a possibilidade clara de existência de um fortíssimo esquema institucionalizado no âmbito da Igreja Maranata,  as vidas das senhoras enquanto jornalistas tornaram-se um pouco mais difíceis, pois além de serem vencidos os obstáculos conhecidos dentro do processo de construção de um furo jornalístico, em se tratando do assunto Maranata, insurgem-se contra, e de forma inexplicável, aqueles que diretamente deveriam apoiar as denúncias!

Nesse contexto, gostaríamos de parabenizar as jornalistas Letícia Cardoso e Vilmara Fernandes, pela coragem e perseverança, em continuar mexendo nesse “vespeiro”, chamado Igreja Cristã Maranata – Presbitério Espírito-Santense, mesmo porque ninguém externo a essa denominação citada saberia descrever com exatidão o que realmente ela é, sendo que ousamos a dizer que muitos ainda dentro de tal meio não conhecem bem ao certo a realidade das práticas, tanto eclesiásticas quanto sociais, devido ao tamanho envolvimento emocional com a instituição.

A imparcialidade e a seriedade com que as profissionais do jornalismo estão conduzindo os trabalhos também são dignas de nota, visto que as abordagens são amenas, em vista de tudo que é relatado nos blogs e comunidades na internet a respeito do escândalo na Maranata. Percebe-se que aquilo que está sendo veiculado é consequência de pesquisa, e são decorrentes de informações fidedignas, obtidas inclusive em sua maioria junto a órgãos oficiais de investigação. Prova disso é que o ataque contrário tem sido em face do jornal e não contra o conteúdo em si, consubstanciando-se em argumentos falaciosos.

Por fim, gostaríamos de prestar o nosso apoio diante da má-fé ou desinformação de alguns que falaciosamente afirmam que estariam atacando a igreja, no sentido de encorajá-las a continuar o ótimo serviço que tem prestado em busca de uma sociedade mais justa, e para o caso específico, em defesa dos fiéis que, tudo indica, estão sendo enganados por alguns de seus líderes, e não têm encontrado forças para denunciar, mesmo que alguns saibam dos delitos.

Em 27/01/2013.

Assinado:

Cavaleiro Veloz, Pr. Eduardo Gil Vasconcellos, Alandati, Cavaleira da Verdade, Eurípia Inês, A. Marques.

 

Maria (CV de saias), Andre, Hosana, José Lopes, Danny Zucolotto, Margareth Dias, Alex, Marcela Rios, Lucky Costa, Ze Carlos, Mirtyz Tavares, Jose Lourenço Lopes Palhinhas, Eduardo Paranhos, Angela Orechio, Paulo Henrique, Breno Teixeira, Raphaela Brito, Eugenio Cesar, Frederico Fiuza.

 

COMENTÁRIO DIGA NÃO ÀSEITA:

Curiosíssimas as manifestações dos icemitas em defesa ferrenha da instituição, inclusive há uma campanha, movida por e-mail, incitando que os membros enviem mensagens, no intuito de serem divulgadas contra as reportagens do jornal, que abordam o escândalo maranático.

Alguns até copiaram o conteúdo exato do e-mail, e replicaram ipsis litteris na página Fala, leitor de A Gazeta, demonstrando ser verdadeiros papagaios-de-pirataConfira em https://www.facebook.com/photo.php?fbid=483680698361134&set=a.464938910235313.115008.464934880235716&type=1&theater

Recomendo também um artigo que cita uma afronta ao Senhor Jesus, promovido pela revista Superinteressante, mas ao que tudo indica esse fato não gerou revolta nos membros da maranata, inclusive pastores, demonstrando claramente o que argumentamos, ou seja, a predileção pela “obra” (icm) em detrimento do Senhor Jesus:

Veja em

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=483633125032558&set=a.464938910235313.115008.464934880235716&type=1&theater

Que obra maravilhosa e bem feita, hein?

A Paz do Senhor Jesus!

Alandati.

Leia também em:

http://cavaleiradaverdade.wordpress.com/

http://diganaoaseita.wordpress.com/manifesto-de-apoio-ao-jornalismo-de-a-gazeta-sobre-o-caso-maranata/

https://www.facebook.com/464934880235716/posts/471111862948175

https://www.facebook.com/despertacrenteJo629

Anúncios

Quando Aitofel  viu que o seu conselho não tinha sido seguido, arreou o seu jumento e voltou para a sua cidade. E, depois de pôr os seus negócios em ordem, enforcou-se. E foi enterrado na sepultura do seu pai.

2 Sm 17.23

judas - cadê o dinheiro

judas – cadê o dinheiro

Aqueles líderes irresponsáveis, foram à tesouraria do santuário e tomaram o dinheiro para pagar a Judas. Desvio de dinheiro destinado ao pagamento pela traição de Jesus. Dinheiro que havia sido consagrado ao Senhor. Esse dinheiro saiu do cofre, onde o povo depositava as ofertas.

Dízimos e ofertas, a cada dia, aparecem nos depósitos on-line da avarenta Obra Maravilhosa. Dinheiro consagrado ao Senhor para os serviços da “casa de Deus”. E todos dizem amém glória-a-deus-e-aleuia com gritos de maranata! maranata! Maranata!

Enquanto entorpecidos, os meias-solas avarentos aprenderam a arte de construir máquinas de notas fiscais frias… muitas máquinas! Eles meteram a mão no dinheiro consagrado e se fecharam num círculo de proteção na base de profetadas de prosperidade. Estronda o grito:“Não toqueis nos meus ungidos.”

Esbórnia! Gastança começando com enchimento de bumbum e levantada dos seios; e continua com compra de carrões, iates e imóveis; construção de mansões, passeios no exterior… e continua com o pagamento de honorários de advogados… e continua com re-re-re-retificações de declarações de Imposto de Renda e continua com…. sei lá mais o quê para fugirem das iras da Lei pelos crimes (em tese).

Esbórnia! O carnaval com os dízimos que o crente, confiadamente, depositou lá no cofre on-line do banco onde os discípulos de Judas metem a mão e os sacerdotes fingem que de nada sabiam.

Esbórnia! Como as DENÚNCIAS do Blog e as NOTÍCIAS da mídia estão erradas, o Ministério Público está errado e os Magisrados estão errados, eles alardeiam o BOICOTE: – Cancelem as assinaturas de jornais! Perseguição!

Esbórnia! Milhões em diamantes, dólares, euros e libras passando de conta em conta (e até de mala em mala) em bancos estrangeiros ao sabor das ordens dos grandes ladrões do templo; enquanto milhares de icemitas aqui no Brasil padecem necessidades primárias. Que Obra é essa?

Enquanto a avareza desses Judas continua destacada na imprensa, muita gente, até hoje, acredita que Lula de nada sabia; mas o poço de iniquidades está sendo escancarado. Espanta! O gedeltismo exposto revela a traição. A BÍBLIA FOI TRAÍDA!!!O mal é grande e o poço de iniquidades é sem fundo.

Foto: Montagem | Arquivo

Arquivo

Não se iludam: Benícios e Benícias custam a entender que a falsa unção destrói e mata. Ora, os meias-solas nasceram do nebuloso pandulho do palácio da rainha desfigurada (PRD) e receberam instruções para exercer o poder camaleônico nas unidades locais. Terrível!

estelionato religioso cria cortinas de fumaça e dissimula os erros com a OPERAÇÃO ABAFA!

fanático instigado pelo ódio religioso é perigoso.

gigantismo do boi o condenou ao fracasso. Nem evangélica, nem pentecostal, nem protestante: esta é a igreja-do-jeito-que-o-chefe-icemita-quer. Quando mais se investiga mais aparece para investigar… Terrível!

poder camaleônico inspira as ações dos maus pastores que aprendem com o olhar caolho do dominador do rebanho. Coisa estranha e maligna! Como entender que esses homens religiosos estão inspirados porMamom? Como acreditar que em seus ombros caregam ídolos e no coração obedecem às ordens do “deus deste século” ? Como entender que Satanás se apossou de Judas? Literalmente! E exceção haverá para os meias-solas mercenários? Por acaso os mitos religiosos os livrará das penas?

Os discípulos de Judas e os sacerdotes do templo judaico sabiam como andar pelos becos e esgotos do palácio e como justificar os atos insanos e maquiavélicos. Judas desistiu do dinheiro antes da sentença que a si mesmo impôs: ele jogou no templo o dinheiro maldito (mas o dinheiro maldito continuava pesando sobre ele).

Ora, conhecedores da Lei e da história de Aitofel (que traiu a Davi), os sacerdotes precisavam ficar livres do dinheiro maldito de Judas (que traiu a Jesus); e assim compraram o terreno onde Judas caiu morto, teve as entranhas arrebentadas – fedor nauseabundo! e ali foi sepultado. Imóvel comprado, com manobras de cartório o registram em nome o legítimo dono do dinheiro maldito: Judas Iscariotes, cujo nome amaldiçoou o cemitério com o nome de “Campo de Sangue”.Este terreno foi destinado enterro de bandidos, estrangeiros e indigentes. O poder camaleônico manipulando os fatos, fazendo história e obras de caridade com dinheiro maldito, enquano o berrante do dono da fazenda rebenta com ódio aos parentes e os retirantes que se danem!

Os beatos formatados giram ao redor do Ídolo-OBRA gerado debaixo do olhar caolho do construtor de heresias. Inconformados com as DENÚNCIAS, boicotam, caluniam, difamam e lançam maldições instigados por alguns Judas palacianos. Nessa monarquia pseudocarismática nunca, jamais, se admite ao icemita pensar ou questionar a doutrina revelada além da letra. Somente nestaformatação os manipuláveis servos da Obra conseguirão acesso à hierarquia presbiteral do sistema religioso. E como emissários do palácio da rainha desfigurada é que serão úteis. Desse jeito!

Os formatados iemitas foram gerados para manutenção do sistema e como filhos do gedeltismo continuam debaixo de jugo maldito e manipulação com o voto de cabresto. Nesta fábrica meias-solas a hierarquia maranatizada impõe o medo com o famoso OSSORREVELÔ! O exemplo vem de cima. O medo impera.

Por quanto tempo o povo ficará calado, eu não sei. Chega de ser “cúmplice com as obras infurtíferas das trevas”. Registre-se que muitos deles desfilam nos púlpitos, entregam mensagens reveladas e profetadas, ministram a Ceia e recolhem os dízimos e ofertas; mas nas costas carregam dinheiro maldito. Peso! Sentença! Vai pesar, cada vez mais, na hora do ACERTO DE CONTAS.

Se o dono do sistema e/ou os seus sucessores provocarão medidas judiciais para a reintegração dessas fortunas, também não sei. Parece que, através de fundações, farão obras de caridade para aliviar a consciência e colocar remendos em roupas velhas; ou comprarão sepulturas em cemitérios para enterrar os corpos dos meia-solas que estão morrendo: alguns em acidentes de carro; outros em morte súbita e outros caminhando para o suicídio. Que medo, hein?! Sentiu o arrepio no corpo?

Se já existem sepulturas para os sepulcros caiados de branco por fora mas com o interior cheio de podridão; será que os Judas devolverão o que arrancaram da tesouraria do templo?

Sei de algo que atordoa a consciência dos homens honestos e das mulheres sérias: se aqueles que dominam os crentes entraram pelo caminho de Judas e já perderam a vergonha, aqueles que os obedecem perderam o respeito por si mesmos.

Vem o JUIZO!

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/01/judas-cade-o-dinheiro/

MPE suspeita de uma Organização Criminosa agindo dentro da Igreja.

Trata-se também do homem de deus que toma café com o sinhô – o fundador da seita maranata – gedelti gueiros:

Agora é oficial

Desvio de dízimo pelos homens de deus que fazem revelações aos escravos da obra

A icm fez do “dão” um diferencial de marketing religioso para se destacar das demais igrejas da “mescla”.

Ela ensina que a letra mata, mas seduz milhares de irmãos com jargões de efeito:

ossorrevelô,
ossomostrô,
ossooorientô,
ossodeteeminô,
ossofalô
, etc.

Além disso, passa a falsa impressão de que é a única igreja (fiel), ou melhor, o único presbitério na face da terra capaz de receber orientações diretamente da eternidade – a oubra é filho único, o resto é sobra (discriminação e preconceito escancarados).

Entretano, o mal uso do “dão” se tornou um instrumento perverso de manipulação das pessoas dentro da administração do pes, e dentro das unidades icm – dando margem ao abuso espiritual sobre a membresia.

Como disse o CV, “isto é a mais pura forma de manipulação da vida alheia.” Muitos estão sendo vítimas desse tipo de abuso dentro da icm, o abuso espiritual.

Se alguém com autoridade administrativa manda algum funcionário do pes embora, na base de “dãos”, sem justa causa, pra mim, isso se chama abuso espiritual.

Se o pes compra equipamento contrabandeado na base de visagens, isso, pra mim, é mal uso do dinheiro dos fiéis e abuso de poder, além de péssima gestão.

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1107549-pastor-usou-visao-para-justificar-desvio.html

http://eshoje.jor.br/veja-notas-frias-que-teriam-sido-usadas-no-desvio-de-recursos-dos-dizimos-da-igreja-maranata.html

Se um pastor entrega “dãos” à uma ovelha, dizendo, que se ela deixar a igreja, será alvo de ataques do diabo, isso, pra mim, é abuso de autoridade espiritual.

Eu mesmo ouvi vários “dãos” que me foram passados no momento em que decidi questionar os acontecimentos no pes, no final de 2011.

Ouvi “dãos” com os seguintes recados:

“seu ouvido está muito sujo”,
“o adversário armou uma cilada para vc”,
“uma seta do inimigo está apontada para a sua vida”,
“não despreze aquilo que Deus lhe deu”, etc.

Se eu tivesse dado ouvidos a esses “dãos”, eu estaria na seita até hoje.

Mas prevaleceu a RAZÃO, ao invés do “dão”.

Pois decidi me apegar aos fatos registrados e expostos no P.A., e também às reportagens sérias de denúncias publicadas na Gazeta e na Rádio CNB Vitória.

Questionei
a falta de transparência do pes,
o seu caixa único,
o voto de CABRESTO, e
o governo quadragenário absolutista.

Dei crédito aos artigos e comentários do BLOG do CV, e, por fim, rejeitei os muitos “dãos” que me passaram.

Foi difícil!

Pensei até em permanecer na seita por mais um pouco, quem sabe dar um tempo, esperar mais dados, mais informação… empurrar com a barriga.

Cheguei a dizer à minha esposa que eu iria continuar na icm por causa dos “dãos” que pastores tiveram a meu respeito.

Foi um momento de altos e baixos.

Mas a minha RAZÃO falou mais alto. Graças a Deus!

Concluí que os fundamentos da icm, nesses 45 anos de existência, nunca foram os fundamentos da liberdade em Cristo e nem os da Sua Graça. Mas sim os de um sistema autocrata criado pelo chefe muito religioso, o qual se valeu de “dãos” para promover a falsa unção, semear a teologia do mêdo, e garantir seu poder camaleônico.

Cansei de meias verdades.

Retornei às Escrituras.

Falo a verdade.

Falo da sinceridade do meu coração, por amor a Cristo.
.
.
Acessem.
http://www.cavaleiro-veloz.com

Divulgem
http://testemunhosderetirantes.wordpress.com/

Enviem email’s aos amigos.

Façam cópias dos artigos e distribuam aos membros
http://cavaleiroveloz.wordpress.com/

Leiam os testemundos de retirantes
http://testemunhosderetirantes.wordpress.com/

O grilo canta na caraça
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/o-grilo-canta-na-carcaca/

O monarca deixou evidentes as “marcas do passado”
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/o-gedeltismo-nos-traiu/

O poço de iiquidades não tem fundo
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/02/poco-de-iniquidades/

Questionem a falta de transparência.
Questionem profetadas e revelagens.

Sigam no Twitter
https://www.twitter.com/cavaleiroveloz2
http://cavaleiroveloz.tumblr.com

Sigam as instruções em http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/a-quem-possa-interessar/ e DENUNCIEM.

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/05/meia-verdade-e-uma-mentira-inteira/#comment-50240

 

Segue uma foto com o  pai dessa heresia “ossorrevelô”  e a foto do “sinhô” que revela hoje na “oubra”:

gedelti gueiros e jim jones

jim jones e gedelti gueiros

Obra – mãe de todas as heresias

seita maranataq

seita maranata

“Os Mórmons se intitulam Igreja, os Adventistas, Testemunhas de Jeová, Congregação Cristã do Brasil entre outras também se intitulam Igreja. Se você perguntar para um membro da ICM ele te dirá prontamente que essa “igrejas” são seitas ou no mínimo uma religião! Entende-se por religião aquilo que por esforço próprio e humano busca se RELIGAR com o eterno. Já do ponto de vista cristão heresia é o ato de um indivíduo ou grupo afastar-se do ensino da Palavra de Deus e adotar e divulgar suas próprias idéias e doutrinas. Resumidamente é o abandono da verdade. Como por semântica o termo SEITA deriva do grego “háiresis” e significa: “escolha, seleção, preferência, exclusividade”.

Portanto não poderá jamais existir um SEITA VERDADEIRA ou uma SEITA FALSA. No passado o termo SEITA não tinha a mesma conotação que tem hoje em dia, no passado era muito mais amplo e significava qualquer doutrina, ideologia, sistema filosófico ou político que divirja da correspondente doutrina ou sistema dominante nacional. Daí o surgimento por exemplo da SEITA DOS NAZARENOS porquanto divirja dos demais grupos existentes.

WIKIPÉDIA diz: >> Usualmente conecta-se superficialmente, somente ao termo, a sua significação específica (stricto sensu) “apenas religiosa”, com o que por “seita” entende-se, a priori e de ordinário, imediatamente “seita religiosa”. Porém, tal nexo causal não é imperativo, pois nem sempre uma seita está apenas no domínio religioso. Assume portanto uma conotação bem mais abrangente e extrapola a parte religiosa pura, incorporando-se ao chamado “fanatismo” de pessoas de tendência fanática e/ou conduzidas por fanáticos. Heresia (do latim haerĕsis, por sua vez do grego αἵρεσις, “escolha” ou “opção”) é a doutrina ou linha de pensamento contrária ou diferente de um credo ou sistema de um ou mais credos religiosos que pressuponha(m) um sistema doutrinal organizado ou ortodoxo.

Uma SEITA é identificada, em geral, por aquilo que ela PREGA e por sua falsa hermenêutica.

Normalmente ensinam sobre assuntos que não coadunam com a Palavra de Deus especialmente com o Novo Testamento.

Uma SEITA HERÉTICA é identificada pela idéias contrárias as aceitas como sã doutrinas dos apóstolos sendo consideradas como “falsas doutrinas”.

A principal e mãe de todas as heresias na até então chama “igreja” “cristã” Maranata é a mistificação,espiritualização do termo OBRA. “Obra” para eles virou uma ideologia ou praticamente a concretização de uma Obratopia (instigada é claro pelo orgulho religioso exclusivista), o que acabou virando um ENTE representativo do Reino de Deus aqui na terra e por conseguinte virou também MEDIADOR entre Deus e os homens, daí afirmarem categoricamente que Obra não é religião e nem denominação.

De que maneira eles conseguiram introjetar esse sentimento de PAIXÃO tão facilmente?

Ora, não há como negar que estamos vivendo tempos difíceis e de abandono da fé, e não há como negar também que vivemos tempos de extrema corrupção religiosa especialmente no que tange ao chamado “meio evangélico”. Foi exatamente este o ponto “X” da questão e o alvo de críticas constantes que geraram nos membros da ICM esse sentimento de superioridade e zelo cristão, exatamente por afirmarem que a Obra era diferente em muitos aspectos, cito alguns:

A Obra é a Igreja fiel – nesse ponto é bom ressaltar que o termo “Igreja Fiel” não existe nas escrituras;

A Obra é única – aqui eles introjetam o orgulho religioso no sentido de que a instituição é mais do que uma organização humana, mas um organismo vivo e portanto perfeita em todos os aspectos, tanto espiritual como administrativo;

A Obra é filho único;

A Obra é uma criança;

A Obra é perfeita;

A Obra é a Noiva;

A Obra é a vinha;

Esta Obra é minha vida;

Vivemos Obra como forma de vida;

A Obra sempre em primeiro lugar;

O zelo desta Obra nos consome;

Precisamos absorver o entendimento de Obra;

Esta Obra é tudo para mim;

Precisamos realizar a Obra;

Enquanto cuidamos da Obra, Deus cuida de nós; – se não cuidarmos, Deus também não cuidará de nós…

Esta Obra é minha vida;

Negar esta Obra é negar tudo aquilo que um dia Deus te revelou;

Esta Obra é revelada – ou seja, só nos é que conhecemos o segredo desta Obra que ninguém mais tem;

O quê que é a Obra?

A Obra é a operação pura do Espírito Santo; onde o Espírito Santo se revela; aonde ele fala, determina, aonde o Governo é o governo do Espírito Santo, então quando nós falamos assim: A OBRA! Nós estamos inseridos num projeto eterno, projeto que é do Pai, e que nós lutamos para nos manter nele (?)

A “Obra”:

É a seita que funciona dentro da Igreja Cristã Maranata, atrás da estrutura bonita, atrás das aparências. Geralmente se desenvolve nas salas “lá de trás” (moderadamente) e nos seminários (pronunciadamente).

Muitos não sabem que ela existe porque ela é muito bem camuflada. “Não podemos expôr a obra”, não é?

A maioria participa ativamente e nem sabe. Acha que está em uma “igreja normal” como qualquer outra, só que um pouco MELHOR, (rs). Não é assim?

É neste lado que reside o “regimento” da casa. É onde os pólos se invertem, os conceitos e o foco muda, surgem as contradições, onde as “contas não batem” e onde também moram as heresias e idolatrias.

Se do outro lado Jesus era o foco, aqui o foco é a “obra”.”

Kevin Donovan!

DICIONÁRIO MARANÁTICO

DICIONÁRIO MARANÁTICO

DICIONÁRIO MARANÁTICO

Aqui estão alguns conceitos dos formatados icemitas que fazem parte do Dicionário Maranático. Mas que merecem réplica da parte dos ofendidos. Dicionário em construção.

 

Aperfeiçoamento dos dons – aperfeiçoamento da bagunça de língua estranha com besteirol nas profetadas e revelagens a que chamam dos ou melhor, “dãos”. Claro! Coisa inventada pelo mestre-mor para dar um jeito nos meias-solas que abrem a boca pra falar bobagem; a exceção do chefe religioso que está acima do Bem e do Mal e sempre fala porrevelação.

Bíblia – livro que normalmente está no sovaco de muita gente; mas que serve para sim ou não em alguma consulta* individual ou em algum grupo de fechado.

Blog do Cavaleiro Veloz – coisa do demônio, inventado por um bando de atrevidos, caídos, inimigos da OBRA, moleques, pecadores e vadios que denunciam os crimes (em tese) de alguns da elite, conforme alardeia a mídia com base nas investigações de grupos de servidores públicos do Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal.

Chatélite – aquela esquisitice de comunicação construída com contrabando e/ou descaminho usada para difundir a doutrina revelada* do pai da OBRA na unidade local.* Coisa que ninguém mais aguenta nem quer saber. Difusão de pão bolorento e uvas de veneno, ou seja, as meias-verdades do PES.*

Diácono – saco de pancadas do pastor da OBRA. É nele que o pastor coloca a culpa se a unidade local da ICM não crescer; se os relatórios forem fraudados e o PES* entender que a unidade local cresceu, o mérito é do pastor.

Consulta – hábito e abrir e fechar a Bíblia adivinhando a possível resposta, especialmente para confirmar aquilo que o formatado quer que seja verdade, por mais absurdo que pareça.

Cumprir a revelação – obedecer às ordens do pastor que foi ungido* pelo PES para mandar na unidade local.

Dom – às vezes com o som de “dão” sempre exigido pelo meia-sola a partir do entendendo de que na OBRA tudo se faz por “dão”, por ser a OBRA superior à Mescla e por isto sobrenatural .

Doutrina revelada – aquilo que nasce na cabeça do dono da OBRA e logo algum meia-sola confirma: ossorrevelô.

Discordar da revelação – sem entendimento de OBRA.

Fazer a OBRA – trabalhar para a Igreja Cristã Maranata.

Igreja Fiel – Igreja Cristã Maranata.

Isaque – homem ainda jovem, completamente enquadrado na OBRA, obediente às revelações do PES, de olho em alguma Rebeca* e na promoção para ungido*. Não quer dizer que seja um cristão fervoroso, honesto e obediente a Deus.

Líder religioso – pastor de qualquer outra igreja evangélica.

O Senhor revelou, melhor dizendo: ossorrevelô – maneira de enganar o icemita exigindo o cumprimento da ordem superior.

OBRA – Igreja Cristã Maranata.

Obreiro – Boi de piranha. Faz a zeladoria da Igreja. Peão. Puxa saco do pastor. Costuma pregar a doutrina da OBRA durante a semana.

Maanaim – Cantinho do céu cercado por milhares de anjos, arcanjos, querubins e serafins. Lugar sagrado, especialmente o de Domingos Martins – ES e palco de investidas de Órgãos Públicos.

Meia-sola – formatado icemita que recebeu ordenação do mandante, pelos emissários maiores, para ser mais um representante do sistema nas unidade locais, sujeito à hierarquia maranática.

Mescla – ajuntamento de cristãos de denominações religiosas diferentes. Coisa humana que para nada presta ao contrário da OBRA que é revelação vinda da eternidade.

Obreiro desacertado – aquele que anda de bermuda.

ORKUT – ajuntamento de caídos, malditos, moleques, pederastas, rebeldes e vadios.

Palavra revelada – aquela esquisitice pregada pelo pastor da OBRA na unidade local, seguindo o exemplo que vem de cima, ou mais precisamente das exposições via chatélite.

Pastor de OBRA – emissário das ordens do palácio da rainha desfigurada (sede do PES). Pastor da ICM. Não quer dizer que seja doutrinária e teologicamente preparado, nem vocacionado por Deus. Basta obedecer, não questionar e mergulhar de cabeça no voto de cabresto.

PES – lugar onde o monarca religioso normalmente põe os pés, exige obediência incondicional e de onde ele baixa o pau nos meias-solas.

Rebeca – mulher jovem de boa imagem e mergulhada nas tarefas da OBRA. Não quer dizer que necessariamente seja uma cristã habilidosa, inteligente e com trabalho fixo; mas tem de ser declarada e reconhecida serva da OBRA.

Religião – toda igreja evangélica que não seja a ICM.

Sem entendimento de Obra – aquele que não trabalha no Maanaim

Sem mansidão – questionador das orientações: se não é ovelha, é cabrito

Sem sabedoria – aquele que lê um versículo negativo numa consulta

Solidariedade – o ato de votar em amigos da OBRA.

Sopão – Comida econômica servida em seminários. Durante o ritual de seu consumo, os membros da ICM devem conversar sobre as aulas que foram assistidas durante o dia, sobre a mescla, o movimento, a religião, a piada contada pelo pastor, as experiências de extermínios de caídos, etc.

Tá no banco! – disciplina que ossorrevela pra corrigir os formatados dentro da ideologia de oubra. Dizem ser impoortante para aperfeiçoar os dãos. O MP-ES, o MPF e outros órgãos públicos estão descobrindo o que “tava no banco” é foi parar no banco de outros…

Ungido – aquele meio-pastor desordenado. Na verdade ninguém entende isso direito e não é pra entender.

Unidade local – o grupo de icemitas debaixo do jugo maranático imposto pelo palácio da rainha desfigurada e obrigados a obedecer… obedecer… obedecer e a pagar os dízimos devidos ao PES.

Varão Valente – aquele que tem medo de desobedecer às Doutrinas, Ordens Normas do PES. Trabalha muito na ICM. Puxa saco do pastor.

M.Durão.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/dicionario-maranatico/

Eu sai da ICM a mais de 3 anos, e posso dizer categoricamente:
Eu ainda tenho sequelas.

Tenho medo de ir pra outra igreja e viver todas as decepções que vivi na ICM. Frequentei aquele lugar por 12 anos, fiz todos os períodos(o 7º fiz duas vezes.)

Eu poderia dar horas de testemunho, acerca de como funciona a lavagem cerebral naqueles TERRÍVEIS seminários.

Os últimos períodos então, aquilo sim é a escória da humanidade. Homens arrogantes, soberbos, de Cristo eles CERTAMENTE não têm nada.

Hoje me sinto livre, mas ainda tenho marcas de quando vivi naquele lugar.

Sinto pena daqueles que nem sequer contestam, não raciocinam e não param pra pensar ao menos porque obedecem segamente a um homem com medo e receio de serem expulsos da “obra maravilhosa”.

Ei você que tá com medo? EXISTE VIDA FORA DA MARANATA, SIM!!!

Eu não sei pra onde vou, mas sei que dentro de um prédio desabando, e que foi construído sobre areia e não sobre a rocha, eu não poderia ficar.

A paz de Cristo a todos.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/12/bando-de-fariseus/#comment-50273

DIGA NÃO À SEITA DO “LAMA LAMA JURACI PARQUE”!

Um irmão, estrangeiro que reside em outro país, e que vem acompanhando as recentes reportagens na Gazetaonline, me perguntou se os jornalistas e a mídia são confiáveis no Brasil.

Eu respondi que SIM. Aliás, acrescentei dizendo-lhe que A Gazeta, juntamente com a rádio CBN de Vitória, são o que há de melhor em termos de jornalismo sério no estado do Espírito Santo.

As reportagens que tenho lido na Gazeta, e as que tenho ouvido na rádio CBN Vitória são coerentes, objetivas, e profissionais. Não percebi nenhum tipo de sensacionalismo em todas essas reportagens. Pelo contrário, cada informação chega ao público com o respaldo dos fatos e de provas materiais.

A imagem de um Brasil tupiniquim lá fora, não é em função de promotores incompetentes e corruptos que se tornam instrumentos do diabo, e muito menos de um jornalismo sensacionalista que persegue igrejas evangélicas, mas sim de líderes inescrupulosos que ainda agem como coronéis de latifúndios do tempo do Brasil colônia.

Eles se apresentam como donos da verdade absoluta, poderosos em suas estruturas de poder, e com pronunciamentos paternalistas e distantes dos ensinos de Jesus.

Esses dinossauros estão em extinção mas ainda existem. Apesar de resistentes, poderosos, e monstruosos, eles são insustentáveis. Mesmo assim creio ainda que serão necessários muitos meteoros (mais investigações e muitas outras reportagens) para extingui-los por completo.

Mas o meu apêlo é para que as pessoas pensem, principalmente os ficantes. Pois a maior batalha não está no tribunal de justiça onde o “pastor briga para retomar o poder da maranata.”

O principal campo de batalha é na sua mente. No seu coração.

Não basta apenas dizer que quem errou tem que pagar. Ou que se o homem falhou vai ter que lidar com Deus e a sua justiça.

Também não adianta dizer que está aguardando o desfecho disso tudo. Voce acompanha as reportagens na internet, entra aqui no site do CV, lê os artigos e comentários, se informa de tudo, e ainda fica na inércia?

Não seja cúmplice!

Sua atitude (ou a falta dela) fala mais alto do que os seus argumentos convenientes. A verdade é mais importante do que o seu status na icm.

Precisamos discernir o corpo. Não podemos ficar como que fracos, doentes, ou como os que dormem. É hora de despertar do sono maranático. Acabou a fantasia de oubra única, icm igreja fiel, ossorevelô, etc. C’est fini.

Vivamos o evangelho real de Cristo.

A verdadeira Obra de Deus, ralizada no Calvário, não depende da icm e muito menos do seu presidente. Deixemos de ser meninos levados por esses ventos de doutrinas “revelados” pelo sinhô.

Vamos seguir a Palavra! Essa sim, é fonte inesgotável de sabedoria de Deus e bençãos.

Existe vida pós-maranata, pois é a própria vida na dependência de Cristo, onde a Sua Graça nos basta.

Sola Gratia
Sola Scriptura
Solus Christus
Sola Fide
Soli Deo Gloria

Reforma já!

Comece pela sua própria vida. Diga não à seita.

Publicado por Rendido estou! em http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/02/poco-de-iniquidades/comment-page-3/#comment-50176

COMENTÁRIO DIGA NÃO ÀSEITA:

Lembro, com o ótimo texto do irmão Rendido estou!, do sucesso de bilheteria nos Estados Unidos, lançado no ano de 1993: o filme denominado “Jurassic Park” (Parque dos Dinossauros), obra de Stevem Spielberg.

Em resumo, um excêntrico bilionário criou um parque temático habitado por dinossauros clonados a partir do DNA extraído de insetos preservados em âmbar pré-histórico.

Curiosamente, um excêntrico bilionário criou, há quarenta e cinco anos atrás, uma obra habitada por “dinossauros” clonados de si mesmo, e com base na sua composição genética ligada à avareza.

O nome da sua obra, dentro desse contexto, pode ser chamada “lama lama juraci parque”, pois começou no Brasil, e portanto não justificaria o nome em inglês, e ainda em homenagem ao dialeto muito estranho usado pelos “dinossauros” que foram clonados por lá, dentro daquele verdadeiro parque temático.

Falo temático, pois há tema para tudo por lá. Tem lema para o ano, só para os “frequentadores” do parque “lama lama juraci”. Tem tema de mês para autoridades, tema de mês para secundaristas, tema de mês para familiares, tema de mês para vizinhos, tema de mês para crianças, tema de mês para universitários, etc. Eles costumam dizer que a obra deles, o grande “lama lama juraci parque” é dinâmico, mas esses temas não mudam nunca. Sempre se tem os mesmos temas, entra ano e sai ano. Isso, sem sombra de dúvidas, vem de encontro ao marketing lançado com o suposto dinamismo prometido pela obra. Mas, afinal, o parque é de dinossauros né…

Os temas das reuniões são sempre também, exaustivamente, os mesmos, pois abordam basicamente uma vida dentro do “lama lama juraci”, ótima, perfeita, segura, sem problemas, tranquila, e outra fora dele, de horrores, medos, inseguranças, ameaças, perigos, riscos de todos os lados…com algumas variantes, mas o escopo principal do “parque” é em torno desse tema.

O DNA – Desejo Nojento por Avareza, na obra “lama lama juraci” parque, utilizado para clonar os dinossauros é o do seu criador, e que garantiu cópias de “dinossauros” fieis ao seu “pai”. Afinal de contas, dinossauro gera dinossaurinhos, não é mesmo? As características do DNA do bilionário excêntrico, para quem não conhece, podem ser conhecidas com um episódio verídico, que ele teria afirmado, em sua aula que ministrava na faculdade, que não seria odontologia, por sinal seu ofício, nem engenharia, nem medicina que dariam dinheiro, no sentido de enriquecer, mas seria fundar a sua obra, a magnífica máquina de arrecadação de dinheiro, aqui chamada de “lama lama juraci parque”.

No “lama lama juraci parque”, criação tupiniquim, assim como no filme de Spielberg, as coisas fugiram um pouco de controle e foi inevitável a disputa por poder, informações, por isso, o negócio foi seguido de tratativas escusas, ladroagem, e isso gerou “mortes” para as pessoas envolvidas. Afinal de contas, foram clonados bichos pré-históricos cuja altura pode chegar a 12.000 m, e a massa de 12 toneladas, outros além de grandes e fortes, chegavam a velocidades absurdas, e outros exímios nadadores, outros voadores, então, ter vida saudável e segura, humana, nesse parque seria praticamente impossível.

A qualquer momento, aqueles que adentrassem no parque dos dinossauros poderiam ser surpreendidos com a fúria de um monstro desses e ser atacado, sendo presas fáceis para eles, até a morte.

Na obra “lama lama juraci parque”, a coisa não é diferente, pois a fúria dos “dinossauros” clonados pelo DNA – Desejo Nojento por Avareza do seu criador excêntrico é imensa. Poderíamos dizer que os humanos que frequentam o “parque”, correm perigo constante e iminente, perto desses verdadeiros monstros, pois a qualquer momento, podem ser perseguidos, atropelados, pisados e comidos (nos dois sentidos) vivos por eles.

A beleza da construção do parque, com todo a sua paisagem exuberante, com o seu verde, representado pela vegetação, córregos de água, árvores frutíferas, não poderiam trazer, diante da presença daqueles bichos enormes, qualquer segurança para os pequenos e indefesos humanos. Na verdade, esse beleza é artificial, cuja construção não passou de mera execução de um projeto de um negócio rentável, que estaria na mente do bilionário.

Quem acha que está seguro na obra “lama lama juraci parque” está redondamente enganado, pois poderá sofrer um ataque de algum monstro, furioso, a qualquer momento, e a chance de sobrevivência a vários deles é quase nula!

Só me resta, diante do que registramos a respeito do “lama lama juraci parque”, exclamar duas coisas:

1) por que que não mataram o inseto desgraçado, que preservou no âmbar o DNA – Desejo Nojento de Avareza, para assim então evitar que, “zilhões” de anos depois, esses monstros aparecessem, com base em “experiências de outros negócios do passado”, e tentassem recriar um conceito que culminasse no “lama lama juraci parque”?

2) Fazer coro com o irmão, e torcer que “meteoros” (investigações e reportagens) caiam nas cabeças de cada um, pois a quantidade deles é grande no “parque”! A vida está cada vez mais insegura com a presença deles por lá!

Diga não à Seita do “lama lama juraci parque” e foge daí, meu amigo!

Que Deus abençoe a todos!

A Paz do Senhor Jesus!

Alandati.

fonte: https://diganaoaseita.wordpress.com/2013/01/23/diga-nao-a-seita-do-lama-lama-juraci-parque/

É PRECISO “SAIR DO CORPO” DA OBRA PARA TER VISÃO REAL DO SEU ESTADO

Amados,

O que têm me chamado a atenção é que muitos irmãos da maranata aceitam o fato de que seus líderes podem estar envolvidos em tantos crimes (em tese) e não se apercebem que são esses MESMOS homens que ditam TODAS as regras “espirituais” dessa denominação. Como assim?

Outra coisa que me causa grande indignação é o fato que esses mesmos irmãos que possuem um discurso amoroso em relação ao não “julgamento” à seus pastores e CONDENAM ao inferno TODOS que decidiram sair da icm. Que justiça é essa?

É de doer tamanha idolatria à obra.

Essa serpente chamada obra está acima de TUDO para eles.

Um dia li em algum lugar a seguinte frase: “Quer saber se o seu grupo é uma igreja de Cristo ou uma seita? Tente sair dela!”

Naquele instante entendi muitas coisas…qualquer forma de aprisionamento, quer seja de consciências, ou de valores, ou literal, ou social, ou psicológico, não comungam com a LIBERDADE para a qual Cristo nos libertou.

Meu desejo e oração é muitas cadeias sejam quebradas através deste canal (site).

Paz em Cristo Jesus

Débora

Publicado por Débora Ramos em https://obramaranatarevelada.wordpress.com/a-seita-igreja-crista-maranata/#comment-4533

COMENTÁRIO DIGA NÃO ÀSEITA:

Há muito gostaria de abordar esse assunto, e agora acho oportuno fazê-lo.

Muitos ainda insistem em defender uma instituição falida, que não passa de joguete na mão de inescrupulosos, que infelizmente, digo com sinceridade, ainda carrega pessoas de bem, que não agem com dolo, nem ao menos conhecem a crueldade realística do que é efetivamente a obra.

Mas vou aproveitar o gancho da nossa irmã Débora Ramos e vou me aprofundar no assunto:

“Quer saber se o seu grupo é uma igreja de Cristo ou uma seita? Tente sair dela!”

Eis a questão! Como assim: sair para conhecer?

Vou explicar com uma analogia, concernente àquela pessoa que fica em coma, e passa por aquele fenômeno interessante, de “sair do corpo”, e avistar você mesmo deitado sobre um leito de hospital, e aí sim se dar conta do que pode estar acontecendo.

Eu mesmo já passei por um fato interessante. Certa vez, ainda criança, era de noite, e eu teria comido um pouco mais do que o normal, batendo dois pratos de comida, com feijão, bife de fígado, etc., e depois, estando com sono, imediatamente, sem quase nada na cabeça, deitei-me no sofá, com as pernas imprensando a barriga, e adormeci…

Meu pai, sabedor da possibilidade de eu passar mal, e tendo passado um certo tempo, acordou-me e curiosamente ele parecia não me ouvir, quando eu o respondia.

Eu achei aquela situação estranha, pois, para mim, eu estava conversando normalmente com meu pai, mas ele fazia cara de desespero, e sairia correndo comigo no colo, quando foi bater na casa de um vizinho, que era servidor do Estado, e que usaria uma viatura para o seu trabalho. Àquela época, quase ninguém tinha veículo automotor, pois era artigo de luxo, e esse vizinho usava um fusca, pintado com as cores da bandeira do estado do Espírito Santo, e pelo senso de humanidade, colocou-nos no carro, e foi até o hosptial mais próximo.

Ao chegar no hospital, fui atendido com urgência, e depois de alguns minutos, como se o filme se perdesse por algum tempo, eu retornei a ver as coisas, mas via meu corpo deitado sobre o leito, e meu pai desesperado do lado, com os olhos fitos nos meus, à procura de respostas, manifestações, movimentos.

Eu observava aquela cena, sem sentir absolutamente nada, de físico, mas já podia perceber a gravidade do fato, sobretudo por causa da postura do meu pai.

Passou mais alguns minutos e eu pude perceber que estava de volta naquele corpo, e abria os olhos, e pude contemplar a alegria no rosto do meu pai.

Levantei-me, sentei, sentia-me fraco, lento, mas fiquei ainda algum tempo ali, provavelmente tomando soro, e não sei se naquela madrugada, ou ao amanhecer, fomos de volta para casa.

Depois, em conversa com a família, meu pai dizia que o médico declarara que os solavancos do fusca, somados com o fato de termos passado por um trecho de estrada de chão, isso tudo, segundo o médico, contribuiu para que eu jogasse para fora boa parte da comida que estava retida no meu corpo, sem ter seguido o rumo normal da digestão, interrompida com a minha atitude infantil de prender o estômago ao me deitar no sofá de casa.

Uma frase ainda que ecoa na minha mente até o dia de hoje, e que teria saído da boca do médico, e relatado por meu pai é que: “mais dois minutos, ele teria morrido!”.

Bem, é isso, meus amados. Eu não me atreveria a dizer que tive uma experiência de ressurreição, mas sem sombra de dúvidas Deus estava comigo, e permitiu que eu retornasse, possivelmente para exercer alguma missão! Eu não sei, pois isso é da economia dEle!

Aproveito o ensejo para apresentar as minhas condolências com aqueles irmãos que ainda permanecem na denominação, a qual nós identificamos como seita, que são honestos e como nós, mergulharam em uma “obra” supostamente de Deus, mas guiada por homens, e principalmente diante de tantas notícias de falta de escrúpulo, transparência, amor, consideração, respeito pela membresia, são levados como gado para um lado e para outro, sendo abusados pela boa-fé de quem está com inteireza se entregando.

O desafio está lançado: Saia do “corpo” da icm, para saber o que realmente se passa com ele! Jamais deixe o CORPO DE CRISTO, que é adenominacional!

Ou faça só a menção que vai sair da icm, para ver o que acontece!

Estou chegando à conclusão que a pessoa só saberá o que realmente é a maranata quando decidir sair dela, e conseguir observar de fora, com olhar isento, a situação real que se passa no “corpo”, assim como a ilustração que fiz, com experîência própria.

E olha que eu não sou o único a pensar dessa forma, hein?

Muitos estão declarando: “enquanto eu estive ali dentro eu não enxergava essas coisas, e precisei sair para ver a realidade!”.

Agora vou fazer uma pergunta, para terminarmos esse nosso papo: o que falta mais acontecer para que todos vejam a podridão que está envolvida essa obra?

As ondas do tsunami estão se aproximando, e ainda tem gente querendo defender que há salvação para esses crápulas?!?!

Acho que as narinas estão já insensíveis ao imenso fedor que emana do palácio da rainha desfigurada! Só pode!

Que Deus abençoe a todos!

A Paz do Senhor Jesus!

Alandati.

PS: “Sair do corpo” aqui não necessariamente é, em primeiro lugar, sair da maranata, mas sair da formatação de ser um icemita cumpridor fiel de tudo que é invenção humana, proveniente do palácio monárquico.

fonte: https://diganaoaseita.wordpress.com/2013/01/25/e-preciso-sair-do-corpo-da-obra-para-ter-visao-real-do-seu-estado/