Posts com Tag ‘seita cristâ’

Os filhos e marido estão devidamente abandonados em casa, a mala com as roupas e sapatos novos feita e o seguro e a passagem pagos. Um final de semana no “pedacinho do céu na Terra”. O ano era 1999 e lá estava eu eufórica e orgulhosa de participar do Seminários da obra.

Uma das coisas que mais me chamou atenção naquele lugar foi a limpeza. Limpeza? Mas o aviso era dado: “não deixam nada de valor nos quartos, é perigoso”.

Fuçando meu baú de lembranças me recordo da minha “experiência” quando fui naquele lugar pela 1ª vez: A irmã que gentilmente me acompanhou, foi roubada. Isso mesmo! Ela esqueceu seu óculos no refeitório e um valete (voluntário) da obra achou e se apropriou do mesmo.

Contudo, um honesto que presenciou a cena, vendo a aflição da irmã procurando seu óculos, denunciou o crime. A confusão estava formada. Todos para a sala da “liga da justiça”. O meia-sola remendado ouve todas as partes e diante da negativa do ladrão, detalhe, ele estava com os óculos em mãos, disparou: “Irmã eu entendo seu questionamento, ouvi a testemunha, vi o objeto do roubo em poder do valete, MAS, a senhora é nova convertida e ele (o gatuno) tem mais tempo de obra e sendo assim FICO COM A VERSÃO DELE (ele havia dito que o óculos era dele, mesmo sendo um modelo feminino).

Diante desse agravo a pobrezinha se defendeu: Não! o senhor está enganado! eu estou fazendo o principiante para acompanhar essa irmã aqui (eu), mas eu sou da obra há muito tempo, sou do grupo de intercessão, sou senhora de frente, sou do grupo de louvor, sou professora de adolescentes! Enfim, ela deu uma carteirada no valete e ficou com os óculos.

Depois desse incidente lamentável, tentei voltar toda minha atenção para as aulas, porque isso era meu objetivo ali. Aprender a Bíblia. Fiquei sentadinha com a Bíblia nas mãos, mas de fato, o que era sistematicamente consultado era a apostila que eu acabara de comprar por R$0,50 (cinquenta centavos), uma pechincha!

Aprendi as doutrinas básicas reveladas com louvor, agora eu estava entrando no reino encantado dos mistérios da obra. Fiquei muito orgulhosa de estar ali, me sentia especial. De fato, o conhecimento bíblico ainda não havia sido aclarado, mas o salgadinho dos intervalos eram ótimos (pagos por fora, claro!).

No final de cada aula era reservado um momento especial para os dons, e isso muito me interessava. Na minha unidade local, um irmão piedoso me ensinara que os dons deviam obrigatoriamente estar em conformidade com a Palavra de Deus. Esse ponto era o mais difícil pra mim, porque não via isso na prática.

O momento final estava chegando e ouvi um dom do Pr. Jairo (aquele senhorzinho da voz rouca) que deu um nó na minha cabeça.

Ele disse que viu uma partida de futebol com 12 jogadores de cada lado, a bola do time vencedor não encostava no chão, ela passava de cabeça em cabeça até o gol, o goleiro pegava a bola e jogava e novamente ia de cabeça em cabeça e goool! Isso acontecia, segundo ele, por 5 vezes. O placar ficou 5X0. O time perdedor correu ao juiz e pediu prorrogação. O juiz informou que o jogo estava acabado e não havia prorrogação.

As gargalhadas ecoaram no templo, inclusive do chefe primaz que estava na tribuna. Risos, muitos risos e sonoras gargalhadas. Depois de instantes, as gargalhadas se enfraquecerem e o mestre pode dar o discernimento:

“Vejam meus irmãos a didática do Espírito Santo, como o Brasil é o pais do futebol, mais gargalhadas, ele mal conseguia falar… Ele escolheu o futebol para nos ensinar. Os 12 fala dos apóstolos, tipo da igreja. A bola é a obra que não toca no chão que é o mundo. Não se contamina. De cabeça em cabeça fala do corpo guiado por Jesus e os 5 gols são os meios de graça, que é o nosso segredo. Sabe porque não havia prorrogação?? depois do arrebatamento não vai haver salvação e o time perdedor é a mescla. Quanta imaginação.”

Para ser bem sincera, foi isso que ficou registrado na minha memória naquele final de semana.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/03/opiniao-seminarios-da-obra/#comment-14862

IGREJAS E SEITAS PERIGOSAS

A liberdade religiosa no Brasil nos levou para uma zona cinzenta e perigosa. Assim como numa anarquia a democracia não sobrevive. Não se deve confundir liberdade com liberalidade. Viver democraticamente exige regras e limites do contrário a sociedade corre enorme perigo.

Vejamos uma seita onde as pessoas cantam com seus filhos músicas melodiosas onde elas renegam o mundo, ou seja a pátria Brasil e toda sua existência terrestre.

A crença e os valores dos seres humanos são válidos se os mesmos são saudáveis, úteis para o desenvolvimento de cada qual e da coletividade.

O fundamentalismo religioso não só atrasa inúmeras nações, como ameaça o mundo com bombas atômicas e extermínio de pessoas por sexo ou comportamento.

O Brasil com uma Constituição Federal das mais avançadas do mundo, está vulnerável a proliferação de todo tipo de abusos aos direitos individuais e coletivos.

O trauma dos regimes ditatoriais fizeram profundas feridas em nossas mentes quando o assunto é regular alguma atividade. É preciso entender a existência do abuso de liberdade. Este existe quando é colocado em risco vidas, a saúde, a nação, independente da existência de um fato. Mas detectar antes da ocorrência de danos graves coletivos ou individuais.

Uma pessoa desempregada, abandonada ou atravessando uma crise emocional ou física com a saúde comprometida, pode ser uma presa fácil para um sistema religioso ora em vigor no Brasil onde tudo é aceito e as Instituições por razões convenientemente políticas espera algum grave acontecimento para imprimir uma Lei como resposta a tragédia.

Todos os mais absurdos atentados contra a sociedade poderiam ser evitados se um estudo prévio sobre riscos à coletividade fossem analisados.

A Igreja Cristã Maranata aproveita como muitas outras seitas e religiões fazem no Brasil o que bem entendem. Inúmeras denominações são abertas do dia para noite usando a Bíblia para fazer um serviço socialmente útil aos aflitos. Entretanto a falta de um Código de Ética e conduta algo que imponha limites torna alguns lugares potencialmente perigosos as pessoas, famílias e a sociedade.

Vejamos por exemplo: Pela letra de alguns hinos apresentados aqui verificamos a negativa total a vida neste mundo. Fala-se em sangue, sacrifício e oferecer a própria vida daquela crença.

Imagino quantas pessoas não tiveram problemas sociais, emocionais e inclusive doenças graves e morreram diante de uma fragilidade onde sua mente foi afetada e seu corpo também.

A Psicossomática encontra pacífico entendimento de que a mente estando sã o corpo também estará. De outro modo, mente doente corpo doente.

Não preciso dissecar a Igreja Cristã Maranata e outras denominações para identificar práticas as quais colocam em risco o indivíduo, a coletividade e o Estado.

O custo para o país ainda não é nada se comparado ao comportamento dos membros de uma Igreja que espera o fim do mundo e a morte como sinônimo de salvação.

Em nome da democracia peço licença para expor respeitosamente minha opinião diante de todos os membros desta Igreja, ora chamada de Seita.

É um direito de cada um acreditar ou não nas crenças religiosas as quais se identifica, ou mesmo optar pelo triste caminho do ateísmo. Entretanto, precisamos logo observar a nocividade de doutrinas as quais dizem que o mundo vai acabar e fazem desta acertiva um conceito para suas práticas.

Acredito particularmente na segunda volta do Senhor Jesus Cristo, pois acredito na Bíblia e em seus milenares registros. Por outro lado estudo, trabalho e faço o melhor para ser um bom brasileiro e um bom cidadão.

Aqueles que afirmam abusivamente em afronta a bíblia de que tal acontecimento pode ser agora ou a qualquer momento (“Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai”. Mc 13:32; At 1:7), incorrem em possível heresia no aspecto cristão. Saindo do lado espiritual, estas pessoas podem colocar em risco a própria vida e a de incontáveis multidões.

Se não vejamos; se para os membros da Igreja Cristã Maranata Jesus vai voltar a qualquer momento, pois já tocou a última trombeta na opinião deles. As pessoas debilitadas e vulneráveis vão viver de modo a não mais se preocupar com seus problemas. Eles se avolumam e assim os problemas tornam maiores. Por outro lado o zelo pela saúde torna-se menor. O empenho em estudar e trabalhar fica sem sentido. Os mais jovens na igreja devem sofrer diante deste paradoxo. Como a mesma está nas mãos de pessoas com mais idade, algumas com graves problemas conforme mostra a imprensa. Invocar pecaminosamente o nome do Salvador para ele vir logo é covarde, nocivo a sociedade e ultrajante a fé cristã.

Os membros da Igreja Cristã Maranata os quais convivi por mais de 10 anos não são estimulados a ter preocupações ambientais. Muito pelo contrário, nos Manaains (sítios onde ocorrem encontros religiosos) é comum verificar desvios de cursos dagua e outras agressões ao meio ambiente. Muitos pastores debocham quando um jovem demonstra sua educação preservacionista. Eles ensinam que isto tudo vai ficar aí, e logo a Igreja será arrebatada. Não falo das instalações do Manaaim, pois ninguém investe dinheiro para ter de refaze-las ou receber uma multa ambiental pesada. Mas o dia a dia, a manutenção a preocupação em preservar as matas ciliares e ensinar os membros a fazer é óbvio que a Igreja está se lixando para isso. A preocupação da Igreja com o meio ambiente é mais administrativa, mais temerosa com o custo em dinheiro que uma multa pode resultar do que com a educação dos membros para em suas comunidades defenderem o país e o planeta.

Se o mundo vai acabar, ou seja se a Igreja Cristã Maranata será arrebatada e muitos serão levados para a eternidade salvos deste mundo mal, como afirmam. Por qual motivo um membro desta denominação vai mudar seu comportamento com o meio ambiente, com o país.

Não incomum são profissionais de baixa qualificação, estudantes limitados, pessoas sem muita perspectiva na medida em que envolvem com a doutrina Maranata.

Os adultos entendem que a morte torna-se algo bom e a esperam brevemente.

O SUS Sistema Único de Saúde acaba pagando uma conta salgada na proporção do número de fiéis desta igreja na fase adulta ou na terceira idade.

A doutrina do fim do mundo é tão nociva e perigosa, deixando uma enorme interrogação sobre o que uma pessoa pode fazer diante do ódio estimulado as coisas deste mundo. Em muitas pregações assim como nas letras dos hinos é claro o incitamento a exclusão total de tudo que não seja a Igreja. O mundo tornou-se para a Maranata o grande inimigo. Ela interage com ele conforme seus interesses financeiros e de sustento. Mas em suas igrejas e Manaains o mundo é o grande satã.

O fundamentalismo cristão existe, mas aqui ainda não pregam ainda abreviar a espera do Salvador com mártires e suas bombas e atentados.

Por outro lado o terreno fértil para o surgimento de atentados não só ao meio ambiente mas as coisas consideradas impuras, inimigas da fé é extenso e profundo.

Uma pessoa que tem coragem de desviar dízimos aos milhões e milhões, ao perceber o fim de sua receita pode ter em mente algumas saídas. Especialmente se a doutrina e promessas não se cumpriram por quase meio século.

Não seria honroso o desligamento, pois o afastamento é humilhante ao coração vaidoso do imperador, o qual sofre diariamente em ser ou não ser mais quem era. O desprestígio tornou-se uma dúvida. As estatísticas não são mais confiáveis e o volume de arrecadação segue em queda.

A mentira descoberta ou no limiar de ser desmascarado e tratado como um líder ordinário com riscos reais nas ruas de sofrer um atentado. Faz borbulhar numa mente autoritária e mesquinha um plano onde se torna vítima de sua própria inverdade. É quando passa-se a acreditar no que foi inventado e repetido milhares de vezes.

Os Manaains não são mais locais seguros para estar, alimentar-se e dormir.

Estão deformando brasileiros. Eles só pensam na eminente hora da partida. Não leem a bíblia, não a conhecem, eles usam somente a bíblia.

Crianças pequenas apreendem a doutrina da morte a qualquer momento, ou do arrebatamento.

Tragédias são comemoradas pelos mais radicais, como castigo divino ou sinal da partida.

Muitos estão deprimidos, desempregados e só não falam em suicídio pois Jesus está chegando.

Mas se demora o que vai acontecer.

Ultrapassaram todos os direitos de exercer a livre e plena liberdade religiosa. Estão aptos a fazer o mal a todos e a si mesmos.

São doutrinados a viver para a igreja, a ter amizades só dentro da Igreja a votar só nos candidatos da Igreja (ferindo a Lei Eleitoral a cada eleição) Pela igreja não existe pecado. Ir para o exterior e trazer equipamentos eletrônicos não é pecado.

Eles são incitados a odiar as outras religiões, fazem piadas com os nomes das denominações, animam suas pregações com este tipo de intolerância arrancando gargalhadas ao ridicularizar os líderes e suas respectivas igrejas.

Por isso jamais você irá ver a Igreja participando de um ato ecumênico em lugar nenhum do Brasil e do mundo.

Se um membro não faz tudo que eles mandam, sofre Bullying, humilhações durante os cultos ou Mannaains. É comum de público um pastor humilhar um membro diante de centenas ou milhares de pessoas, por causa de uma determinada falha ou fraqueza.

Mas quando um ungido ou pastor erra, eles escondem para preservar a Igreja.

Muitas pessoas estão sofrendo uma verdadeira lavagem cerebral e prontas a atender vozes de comando. São estimuladas a ouvir vozes. E muitas afirmam ouvir tais vozes.

A medida que as coisas não saem bem para os Maranáticos a sociedade brasileira pode preparar-se. Pois em cada ponto deste país onde existir um fanático desta Igreja, não haverá bandeira nacional, nem pátria. Tudo que eles querem é que jesus busque a Igreja hoje se possível.

Chegou-se a tal ponto esta religião em 2012 devido a falta de limites. Acredito que muitas outras também desdenhem das leis e pecado seja não seguir a igreja tal como um império paralelo.

Traficantes, terroristas, corruptos, homicidas e todo tipo de mau elemento estão infiltrados nestas denominações. Entretanto eles não as usam, mas podem ser usados.

Não é incomum ver Igrejas abertas em locais dominados pelo tráfico de drogas ou frequentada por fugitivos do sistema penal. Os pastores são orientados a compor e dar-se bem com estes elementos.

Em algumas Igrejas eles são recebidos com respeito durante os cultos. Lembro-me bem de um pastor falando com orgulho por ter conhecido um determinado bandido de alta periculosidade.

A corrupção dos valores é altamente nociva aos jovens as crianças.

O problema da Maranata é igual de muitas outras denominações religiosas.

O Brasil precisa encontrar um Código de Disciplina e Ética para conduta religiosa. Onde não podemos aceitar igrejas com conceito destrutivo em suas doutrinas. Seria um avanço para o país e todo mundo.

fonte: https://obramaranatarevelada.wordpress.com/denuncia-igreja-crista-maranata-icm/#comment-934

por que tantas perseguiçoes a esta igreja ou seita como alguns dizem, nao consigo enteder o por que de tantas pessoas se levantarem contra esta igreja.
.
.
Olá, gilcinei

Graça e paz em Cristo Jesus

Interessante é que V. faz referência à “esta igreja ou seita”. Então, deixe-me ajudar.

Foi Gedelti Gueiros, o presidente da ICM-PES quem desginou a Maranata de SEITA. Leia:
.
http://www.morrodomoreno.com.br/memorias.htm
.
http://www.vilacapixaba.com/Artigos/Artigo%20Vila%20Velha%2001.htm
.
Pois bem.
.
Apesar do coro de calúnias, maldições e ofensas que descem do palácio da rainha desfigurada contra os retirantes (e eu sou um destes), as DENÚNCIAS do SITE eram insistentes.
.
http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/03/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1144923-maranata-lider-da-igreja-e-investigado.html
.
Estávamos denunciando a) as CORTINAS DE FUMAÇA elaboradas no palácio da rainha desfigurada para esconder as fraudes dos Judas; e b) o esforço da formatação icemítica insistindo na instigação do ódio contra os retirantes. Leia
.
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/os-filhos-da-instigacao-do-odio/
.
Leia como foi o início da ICM-PES. O que NUNCA lhe contaram está aqui neste artigo:
.
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/04/poder-camaleonico/
.
Nossa obrigação é denunciar e as provas de nossa denúncia eles mesmo fornecem… muitas provas (cercade 30.000 documentos foram apresentados às autoridades públicas). Os Judas continuavam a beijar Judas nos escondidos das fraudes e planos de ofender e perseguir os que fazem perguntas.

O aviso ecoou neste SITE: TSUNAMI! E ele veio nas primeiras ondas.

Portanto, nada de ódio e retaliação de nossa parte (como alguns ainda pensam). O gedeltismo encurralou os membros da ICM-PES em um beco sem saida. Leia. Neste artigo V. encontra respostas. Faça cópia e distribua. Entregue uma cópia ao pastor, mas faça isto na frente de todos e peça que ele dê resposta.
.
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/08/beco-sem-saida/
.
O pior está por vir…

Quando ecoar a ORDEM JUDICIAL haverá algema, e choro, e desolação…

Sei de algo, dou por avisado e insisto: se os que governam a ICM-PES, agem como dominadores irresponsáveis de rebanhos, e, por isso, já perderam a vergonha; aqueles que creem na crença do maioral e o obedecem, perderam o respeito por si mesmos.

Shalom!

CV.

.
Viu? O som do TAMBOR continua ai nos seus ouvidos.
.
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2009/12/eu-e-o-meu-tambor/
.
Você não mais poderá dizer: NINGUÉM ME AVISOU.

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/11/muita-coisa-esta-errada-dentro-desta-igreja/#comment-14238

Existem suspeitas com fundamento que a igreja cristã maranata é uma das seitas implantadas pela CIA americana nos anos de 60 na América Latina para enfraquecer os regimes governamentais dos países ao sul da fronteira dos Estados Unidos – esta prática do serviço secreto dos Estados Unidos é um fato comprovado.

As paralelas estão ai – geralmente os “donos” dessas seitas mantêm mansões nos Estados Unidos.

Existe outra paralela que coincide – nos anos de 1962 a 1965 um dos suspeitos responsáveis por “plantar” essas seitas – Jim Jones – ficava viajando entre Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo conhecendo igrejas e seitas locais – pouco depois começou a rebelião de Gedelti Gueiros na Igreja Presbiteriana e após fracasso de assumir o poder na Igreja Presbiteriana nasceu a igreja cristã maranata.

Em 1978, Jim Jones levou 909 seguidores dele, entre eles 303 crianças com sua seita “Peoples Temple Christian Church” (Igreja Cristã Templo das Pessoas) á morte. A morte em massa aconteceu em Jonestown (maanaim de Jim Jones) em 17 de Novembro de 1978.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/11/muita-coisa-esta-errada-dentro-desta-igreja/comment-page-3/#comment-14091

Essa suspeita também é baseada em outro fato:

Na tentativa de Gedelti Gueiros de processar o Dr Brinco pela publicação do livro “50 anos da história da Igreja Presbiteriana de Vila Velha” a resposta do Dr. Brinco foi bem clara e deixou GG com certeza com pavor: “Tenta me processar e eu conto tudo” – Jamais a ICM tentou processar.

Esse “conto tudo” é assustador – não se pode referir á atualidade, refere-se ao convívio nos anos 60 e à fundação da seita Igreja Cristã Maranata. O que tem mais além de rebelião dentro da Igreja Presbiteriana? O que tem mais além de tráfico de bebês por Jedaias Gueiros? O que – alias – é uma prática do serviço secreto financiar “os projetos” com dinheiro gerado em todo tipo de crime.

Será que o Ministério Público vai responder essas perguntas?

Como a igreja está necessitada de outra voz…

Sinceramente, não sei o que lhe falte mais, se ouvidos para ouvir, A VERDADE, ou de bocas proféticas que falem por Deus.
Porque chega de cabresto, de heresias, de distorções, e falsos mestres e falsos pastores, falsas lideranças… e consequentemente, falsos cristãos, crentes cegos, mancos, peados, incrédulos no evangelho e fanáticos pela instituição/grupo e que pensam conhecer e viver algo espiritual…

Alguns até estão esperando pela justiça, que as leis de nosso país intervenham e ponham freios em algumas lideranças desembestadas, por descrer na possibilidade que outra voz feito a de Lutero, ou Martin Luther King seja levantada por Deus para despertar a igreja e chamar, dessa vez, para fora dela.

Porque infelizmente é isso o que está acontecendo, antes o sentido de igreja era os saídos para fora, DO MUNDO para ela; mas agora já se faz necessário que saiam dela para fora. Mas não para o mundo, mas para buscar a igreja de Cristo, porque a que temos hoje é do homem.

Essa ICM é só um exemplo do quanto a igreja está dentro do que não é evangelho e precisando sair para fora. URGENTEMENTE! Me faz lembrar a parábola das virgens imprudentes, que dormem o sono da indolência sem a menor preocupação, confiantes de estarem salvas. As advertências dos apóstolos são claras em relação aos últimos tempos, e não podemos negar que elas sejam cada vez mais pertinentes aos nossos dias:

“Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo” 2 Co 11.13.

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras…” 2 Pe 2.1.

“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora” 1 Jo 4.1.

“Porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos” Rm 16.18.

O que é demais lamentável é que, assim como este tópico que traz as semelhanças entre a ICAR e a ICM (igreja Católica e igreja Maranata), essa também é mais uma, os cristãos protestantes na maioria têm o comportamento dos católicos: católicos não leem a bíblia, nós sabemos disso; católicos dão mais credibilidade ao que o padre diz do que as Escrituras Sagradas, nós também sabemos disso…

Mas a igreja protestante está agindo de igual modo, nem lê a bíblia, e se a lê, não é na companhia do Espírito Santo de Deus, mas daquela mesma mentalidade que tem ouvido em sua instituição. O que resulta apenas em ser produto da instituição, um prosélito e vez de um cristão.

E é o que vemos e temos assistido em todo lugar, mas na ICM certamente, a coisa É MUITO PIOR, porque as pessoas estão adoecendo com o evangelho que ouvem nela. E um dos pontos mais discrepantes que a ICM manifesta em sua pregação, é a não adaptação de seus membros em outro lugar ONDE O EVANGELHO É PREGADO, e a mesma bíblia.

Isso só já é atestado de falso profetismo, heresia, SEITA!!!

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/09/a-obra-construindo-heresias/

“Levantou-me o Espírito, e ouvi por detrás de mim uma voz de grande estrondo, que, levantando-se do seu lugar, dizia:Bendita seja a glória do SENHOR.”

(Ez. 3.12)

A apostila Os Valentes da Obra (1) evidencia que a mentalidade (conduta) de Obra – da qual é bem difícil alguém dela ficar livre – construída ao longo do tempo, é capaz de,  noite e dia, operar na imaginação dos beatos, desavisados obreiros e desencorajados pastores corrompidos pela heresia icemita e ainda agrilhoados ao misticismo pseudocarismático do sistema.

Buscar entendimento oculto das Escrituras,  e espiritualizar expressões ou frases isoladas do contexto próximo e conteúdo geral, indo além do plano semântico da passagem, é enredar a membresia com  extravagâncias de interpretação. Método extremamente perigoso. Na alegoria ou espiritualização a mente do intérprete não se prende às exigentes regras da Hermenêutica Bíblica.

Entenda: não há como checar o que ele interpreta, e não merece confiança o que ele diz ser doutrina revelada ou palavra revelada. Nestes casos (alegoria ou espiritualização) o intérprete busca o pretenso sentido oculto do texto, fazendo disto o padrão único. O pior acontece, quando ele está enredado por bajuladores, falsos profetas ou pastores subalternos que o apoiam descaradamente e proclamam: Deus falou!

Evidentemente, na terra de cego quem tem um olho é caolho. Não duvide: o olhar caolho da doutrina revelada busca algo com que possa acirrar a empáfia religiosa, desacatar as Escrituras Sagradas e encantar com empulhação além do que está escrito e do jeito que está escrito. Cegos guiando cegos e o Diabo bate palmas.

Esteja atento e bem disposto para o que você vai ler, pensar e refletir.

Criando ilusões

Complicada, confusa, dispersiva e mal elaborada, a apostila Os Valentes de Davi – Valentes da Obra é anunciada com ares de doutrina revelada além da letra e mistérios da Obra que veio da eternidade; mas não passa de grandiloquente imbróglio embrulhado em absoluta incerteza. Certamente, este “além da letra” passou a  jargão do maranatês e pedra de tropeço para o gedeltismo.

I) A apostila Os Valentes de Davi – Valentes da da Obra aparece bem no início dos Seminários da Obra e encontrou lugar de destaque no palco das ilusões e mitos da então incipiente monarquia pseudocarismática. Conteúdo dissimulado de exclusivo e integral apoio ao mestre-mor, o expositor inigualável da palavra revelada que veio da eternidade. (sic)

apostila afirma que Davi é tipo de Cristo. A burla aparece logo no início do referido texto. Assim começa a espiritualização. Expressamente. Ora, por mais que admiremos o afável poeta, diligente guerreiro, homem de seis mulheres e rei de Israel, é absolutamente incorreto afirmar que Davi é tipo de Cristo. Nem o desobediente, idólatra, multimilionário, ocultista e polígamo Salomão serve de tipo do Espírito Santo (como ensina o mestre); mas na espiritualização é possível, especialmente quando o profeta de bolso estremece a fala e proclama: falei através do meu ungido…

Definitivamente, as Escrituras Sagradas jamais permitirão esse tipologês do mestre que ignora a Epístola aos Hebreus e demais Escrituras; mas coloca a inerrância da doutrina revelada além da letraacima da inerrância das Escrituras Sagradas, enquanto debocha e continua debochando dos que se dedicam a exercer fé em Jesus e biblicamente pensar e pensar teologicamente.

II) A apostila nada nos fala do “evangelho da graça de Deus” (At. 20.24) que chegou até nós (1 Pe. 1.10-12; 2 Pe. 1.16-18). Ela está carregada de alegorias, fantasias, ficções e malabarismos que distorcem a intenção do Espírito Eterno ao inspirar o hagiógrafo que proclama (2 Tm. 3.16-17):

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”

A espiritualização de frases das Escrituras facilmente gera a doutrina revelada em afronta ao conteúdo ético, gramatical, histórico, inerrante, judicial, legal, natural, profético, santo, teológico e verdadeiro das Escrituras Sagradas. Ainda mais grave é a discriminação, que faz com insensatas proclamações de ser a ICM-PES, exclusivamente, a Igreja fiel, a Obra do Espírito, a única que tem a doutrina revelada. Deste modo, a esperteza do mestre-mor cai sobre sua cabeça entorpecida com o erro.

III) Ares de cabala e numerologia aparecem entranhadas nisto que o icemita-mor denomina de mistérios da Obra. Espiritualizando a expressão “trinta e sete” em 2 Sm. 23.39b., ele orgulhosamente proclama: 37 valentes => 3 = trindade 7 = perfeição (Obra perfeita do Espírito Santo).

Então, perguntamos: Qual trindade? Que ObraObra perfeita em quê? Como alguém consegue encontrar a trindade a Obra perfeitaescondidinhas na frase isolada do conteúdo e contexto geral das Escrituras? Não pergunte ao mestre-mor, pois ele  nunca dará explicações e dirá: mistérios da Obra.

Nada obstante, a lista desses guerreiros é maior que a anterior e se completa com o rol descrito em 1 Cr. 11.10-47 e 12.1-22, onde estão mencionados “os principais valentes de Davi que o apoiaram valorosamente no seu reino, para o fazerem rei… e eram dos valentes que o ajudaram na guerra”.  O mestre-mor jamais conseguirá demonstrar, como é que as listas de guerreiros (homens) sanguinários possam ser modelos de pastores para o Novo Testamento; mas além de espiritualizar ele incluiu mulheres (casadas ou solteiras) pois insistiu (ênfase nossa):

Os valentes da Obra também são assim: a irmã que enfrenta o marido não crente todos os dias; o jovem que se dedica ao serviço no Maanaim; os que abrem mão do conforto fazendo as madrugadas; a irmã que entende a revelação e abre mão da calça comprida; os pastores e obreiros que viajam; os trabalhadores do Maanaim; os que se gastam pela Obra.

Neste passo, a espiritualização da frase “trinta e sete” contraria o contexto, deixando-o completamente esvaziado de integração com o restante da Revelação Proposicional. E eis a empáfia icemita com mais um capítulo da doutrina revelada!  Não é verdade que mitos não precisam de sustentação?Ora, esse  esperto icemita intérprete dos intérpretes insistiu em chamar este blefe esquizofrênico demistérios da Obra.

IV) Assim, desde que o construtor de heresias afirma que 3 é o número da trindade, ele cai num círculo vicioso; porque o número 3aparece 14 vezes em 2 Sm. 23.1-39. Isolar somente o último versículo? O que acontecia na mente do pensante? Por que a atenção especial aocabalístico numero 37? Quem o inspirava? Quem o estimulava a dar continuidade à heresia? Só encontro esta resposta: ao espiritulizar“trinta e sete” intencionalmente, o mestre mergulhou a membresia no pior teologismo…

Considerando que o olhar caolho é capaz de dissimular e gerar a nebulosa revelação além da letra para cada frase das Escrituras; diante das 14 ocorrências do número 3 ao longo de 2 Sm. 23.1-39, o beato ignorante dará como correto: 3 (a trindade) e 14 > 2 x 7 (a dupla porção do valente da obra perfeita); e plenamente satisfeito o mestre dirá:  ele entendeu a Obra. Mas, o que se observa nestes casos é o seguinte: definitivamente o erro do mestre está introjetado na mente desse servo da Obra Maravilhosa.

Contra-golpeando esta palavra revelada, melhor será: 3 x 14 = 42 > 4+2 = 6 > número daqueles que aprisionam beatos e com mãos de ferro dominam os rebanhos de Deus. Dominadores, falsos mestres e falsos profetas nunca são transparentes.

V) A fim de entendermos o dano da espiritualização intencionalde frases da Bíblia e os malefícios decorrentes, o olhar caolho do construtor de heresias abusa da expressão bíblica “além da letra”, com o exclusivo e nefasto propósito de aprisionar os beatos com o jargão:Hoje a Obra é a igreja que compõe os 37 valentes.

Esteja certo de que este jargão é apresentado e reiterado com ares de augusta, inerrante e maravilhosa verdade… e os formatados dizem:Amém!

Infelizmente, o mestre-mor conseguiu introjetar na mente dos servos da Obra o enigmático e ininteligível status de valentes da Obra; porém, os erros e fracassos grosseiros nos cultos proféticos mostram que de valentes nada tem. Os retirantes que o digam…

VI) Aquele que elabora e institucionaliza jargões, descobriu que, de lerdos, beatos, formatados, obreiros e pastores subalternos nunca pensam; e por nunca pensarem, nunca exercem fé nas Escrituras, na sabedoria e no poder de Deus (cf. Rm. 1.16.17; 1 Co. 1.24), exatamente, por estarem empanzinados com doutrina revelada além da letra.

Beatos  encantados com a linguagem do não-pensamento facilmente se deixam FORMATAR nos modes do gedeltismo (eclesiasticismo fiosófico, místico, monárquico pseudocarismático) que nada tem de Evangelho de Deus. Esta linguagem do não-pensar, além de gerar jargões, franqueia portas para o falso profetismo que corre nasunidades locais da ICM-OBRA como fogo em palha seca e abre portas pa a ação de espíritos de engano.

Icemitas em geral e especialmente os formatados servos da Obraaprenderam a ecoar jargões. Ciclo vicioso! Quando alguém lhes pede a razão da fé, exlamam: OBRA MARAVILHOSA! Porém, se confrontados com o que Deus disse, do jeito que Ele disse,  eles respondem com agressões e maldições que aprenderam com a Mensagem Para Pastores 2007.

Infelizmente, a elite das elites dos icemitas (clero superior) e os pastores subalternos (crero inferior) depositam fé nos jargões do mestre muito religioso. Não tenho outro modo de dizer: eles depositam fé na crença do chefe icemita, por serem “néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram” (Lc. 24.25).

Neste contexto o maranatês identifica a linguagem do formatado servo da Obra. Esta formatação é conseqüência direta de algo eminentemente e intencionalmente ocultista: A FALSA UNÇÃO.

Insistindo na insanidade religiosa

O argumento de fundo é este: o mestre-mor espiritualizou a frase “trinta e sete”, e apresentou o que denominadoutrina revelada além da letra, querendo dizer que o ministério da Obra Maravilhosa é para valentes que, neste sentido estão dotados da mesma estirpe dos arrolados “valentes de Davi”.

Ora, fosse incontroverso esse argumento, deveria merecer confirmação e  pleno respaldo das Escrituras. Mas este ensino pseudocarismático resiste ao exame das Escrituras? Evidentemente, NÃO!

Portanto, cabe a pergunta: é possível espiritualizar a frase “trinta e sete” com outros contornos?

VII) Sim, é possível. E até bem entremeados com ensinos e expressões proféticas das Escrituras com dramaticidade e peso; ainda mais, porque a frase “trinta e sete” aparece inserida no curto versículo 39 do capítulo em comento. Nele está inserido o número 37, cabalisticamente considerado o número fixo do destino. (3)

Então, a partir do cabalístico número 3 de que o icemita-mor lançou mão para introduzir na ICM-OBRA a alegada e mística palavra revelada, também chamada de mistério da Obra, formulemos a hipótese:

a.  3 > a tríade satânica (Ap. 16.13);
b.  > cada um dos “filhos do diabo” (Ef. 2.1-3; Jo. 8.44; 1 Jo. 3.10);
c.  7 > a obra perfeita do “príncipe que há de vir” (Dn. 8.25; 9.26);
d.  30 > 5 x 6 = cinco continentes dominados pelo “príncipe que há de vir” , ou seja: o Grande Homem Maçônico; ou
e.  30 > 3 x 10 = dez supernações (governo internacional) sob o jugo da trindade satânica (Dn. 2.28-43 cf. Ap. 13.1-8; 16.13);
f.   37 x 6 = 222 > a terça parte do mistério profético está revelada;
g.  222 > 2+2+2 = 6 > número do homem capacitado pelo Diabo, o pai da mentira (Jo. 8.44; Ap. 13.2b);
h.  222 > número a ser multiplicado por 3 para revelar o mistério da besta;
i.  666 > número da besta, a que sobe do mar, “pois é número de homem” (Ap. 13.18) aquele que receberá apoio do “falso profeta” (Ap. 16.13).

VIII)  Assim conjeturando, demonstro que a espiritualização de frases das Escrituras cria imbróglios dos mais ousados. Infelizmente, a cegueira espiritual de muitos os faz acreditar em doutrina revelada… mistérios da Obra. O pior acontece quando algum falso mestre declara:ossorrevelô! Ou lança mão do prestante profeta de bolso, que instigado pelo agregado que se esgueira nas sombras, irrompe com a profetada:DEUS FALOU!

Alguém dirá: esta hipótese não faz sentido. Então, lhes direi explicitamente: o que não faz sentido é a elite dessa falsa Obra Revelada continuar aprisionando os beatos e enganando obreiros e pastores subalternos com espiritualização da frase “trinta e sete” em 2 Sm. 23.39b., como o construtor de heresias exige e impõe. Somente um apóstata, dissociado da realidade, fanático, herético, ilusionista, ignorante ou mestre obstinado e tendencioso consegue falar de a trindade e a obra perfeita do Espírito Santo em 2 Sm. 23.39b. Absurdo! HERESIA!

Entendo que o formatado icemita, como medo de pecar contra a Obra Maravilhosa, nem percebe que mantém o cabalístico número 37introjetado na mente, porque ele é estimulado (inconscientemente) a querer ser mais um vale(n)te da Obra Revelada. Lamentavelmente, confiante nas meias verdades do mistério da Obra que veio da eternidade; e enganado nos cultos proféticos e nos Seminários da Obra com espiritualizações, profetadas e revelagens, o icemita de carteirinha desenvolve a espiritualidade esquizofrênica(alienação da realidade) no modelo proposto sistematicamente.

Infelizmente, o mestre-mor decompôs o cabalistico número 37com a intenção de proclamar que a trindade (qual delas?) está presente na Obra perfeita (perfeita em quê?), para a forma(ta)ção dosvalentes da Obra. De conformidade com esta palavra revelada essesservos da Obra ou valentes da Obra é que serão os notáveis, ou seja: homens capazes de apoiar  o chefe icemita e os balcões de negócios; defender o gedeltismo e  interesses da instituição monárquica e pseudocarismática. Corporatismo! Cumplicidade!

IX) Desde que o olhar caolho além da letra descobriu a trindade e a perfeição da Obra dentro da expressão “trinta e sete” inserida nas entranhas do curto versículo 39; ainda conjeturando e decompondo o número 39 (3 x 13) chegamos ao seguinte: 3 > número da tríade satânica; 13 > 6 + 7 = número do homem maligno e ocultista na mais perfeita rebelião contra Deus; porquanto é dito que 13 é o número de Satanás. (4)

Do mesmo modo, aplicando a esperteza do construtor em espiritualizar frases das Escrituras, diremos que o número 39 aponta o adorador do diabo, o homem maligno em sua completa depravação e revolta contra Deus.

Então, concluímos: na frase “trinta e sete” o olhar caolho “além da letra”  encontrou a trindade e a perfeição da obra; mas embaraçou-se na heresia que guarda, em suas entranhas, a intensificação do mal.

X) Portanto, se o olhar caolho do construtor de heresias da obra perfeita que veio da eternidade acredita em força e mistério dos números; e que certos segredos da doutrina revelada aparecem escondidinhos em expressões numéricas e frases isoladas das Escrituras; diremos que ele conseguiu construir e erguer a doutrina revelada ao nível de dogma negrumoso e ocultista. Portanto, este ensino é herético. ENSINO DE DEMÔNIOS!

Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.

CONCLUSÃO

A astúcia da elite icemita está na  formatação e na  manipulação de obedientes obreiros que não-pensemfazendo-os crer movidos pelo espírito de obediência à Obra como fonte de autoridade espiritual e poder pentecostal para serem  valentes… muito valentes. Autoridade espiritual?, capacitação sobrenatural? poder pentecostal e valentia? onde estão na prática? O evitar de desmascarar os falsos profetas e o fugir de expulsar demônios demonstram a fraqueza dos valetes (escrevi valetes). Os erros grosseiros nos cultos proféticos – fatos incontroversos notórios e públicos – provam o contrário da lenga-lenga do mestre-mor.

A ordem do monarca é imperiosa: ABSORVAM A OBRA! Deste modo, o chefe muito religioso impõe o DON (Doutrinas, Orientações e Normas do Presbitério cf. arts. 5º e 25 do Estatuto da ICM-PES), constantemente manipulado pelo  icemita mestre dos mestres e exclusivo modelo dos 37 valentes (quem lê entenda).

Assim, o clero superior despeja a doutrina revelada sobre o clero inferior; e estes obrigam as unidades locais à INDISCUTÍVEL OBEDIÊNCIA. Nesse construto hierárquico de profetadas e revelagens avalia-se a capacidade do servo da Obra ser erguido à condição de defensor da instituição e mero representante do presbitério naunidades locais, conforme o Estatuto Icemita.

Buscar entendimento oculto das Escrituras, além do plano semântico da passagem, é espiritualizar frases consistindo emextravagâncias de interpretação em completa DESARMONIA com o que Deus disse, do jeito que Ele disse. Método extremamente perigoso. Na espiritualização de frases das Escrituras a mente do intérprete não se prende às exigentes regras da Hermenêutica Bíblica, e não há como checar o que ele interpreta. Neste passo, o gedeltismo busca o pretenso sentido oculto do texto, fazendo disto o único padrão… e fracassa. E fracassa quem o imita…

Caindo no engodo de espiritualização de frases das Escrituras, em Ap. 8.5 o mestre-mor cometeu o pior dos erros: destituiu a Cristo Jesus de Seu Apostolado, Messianato e Sumo Sacerdócio, declarando: (5)

Enquanto os anjos se preparam para atender às determinações do Todo Poderoso, o fogo do altar (símbolo do Espírito Santo) é jogado sobre a Terra para os homens, que recebem diretamente do altar o calor das chamas incendiárias do poder de Deus, onde o Espírito Santo age cada vez com mais intensidade em seus corações, como apelo e preparo aos fatos que sucederão, evitando surpresa, o medo e o terror próprio dos desavisados. É a misericórdia de Deus preparando o homem para receber com alegria as suas intervenções.

Mergulhando ainda mais nesta erronia esquizofrênica, o chefe icemita insistiu em que três das quatro trombetas do Apocalipse tocaram (se assim for, já estamos na grande tribulação) e a quarta trombeta equivale à “última trombeta” de 2 Co. 15.52; quando, então, a Igreja Fiel (leia-se: a ICM-PES) exclusivamente será arrebatada“num abrir e fechar de olhos”. Erro em cima de erro. Milenar é o ensino da Escritura (Jó 5.12-13):

“Ele (Deus) frustra as maquinações dos astutos, para que as suas mãos não possam realizar seus projetos. Ele apanha os sábios na sua própria astúcia; e o conselho dos que tramam se precipita.”

Não é, pois, de admirar, que a augusta doutrina revelada… mistérios da Obra propalada pelo chefe muito religioso da ICM-PES, seja conveniente como encantamento dos incautos e instrumento de aprisionamento e manipulação dos obedientes e obtusos servos da Obra.

Nesta condição,  diáconos, mestres dos Seminários, obreiros e os referidos  representates do presbitério (pastores) anseiam e esperam pelo escondido na cartola ou na manga do paletó do mágico; e agrilhoados ao condicionamento místico-religioso da doutrina revelada além da letra, não mais conseguem enxergar o que está nas Escrituras SagradasO absurdo disfarce do poder camaleônico ficou introjetado na mente de cada icemita. Romper com esses entraves exige esforço indescritível.

O propósito deste artigo foi demonstrar em que resulta a alegoria (fantasia) na boca e na doutrina dos falsos mestres e incrédulos especializados na empulhação e na espiritualização de frases das Escrituras. 

Ora, a empulhação gera incrédulos e mata! A apostila em comento nos mostra que a Verdade do Evangelho ainda é mistério nesta ICM-OBRA, onde alegorias, dissimulações, espiritualizações das frases da Bíblia e o gasto e muito obtuso tipologês aparecem absolutos e indispensáveis no arranjo caracteristicamente dissimulado dos ensinos principais nos Seminários da Obra.

Os beatos dependentes e os obreiros subalternos aprenderam a confiar na crença do monarca muito religioso; e, deste modo dispensam o criterioso exame das Escrituras, bem como o exercício da fé no poder e sabedoria de Deus. E enquanto os valetes (escrevi valetes) dormem, os filhos do maligno incentivam o maranatês que continua crescendo qual joio no meio do trigo (Mt. 13.24-30,36-43). Laços do Diabo!

Por conseguinte, a doutrina revelada consegue encantar beatos, obreiros obtusos e pastores subalternos; mas não faz o mais mínimo sentido para os crentes firmes na “fé em Cristo Jesus” (Gl. 2.16) segundo as Escrituras; porque não somos “como os demais, que não têm esperança” (1 Ts. 4.13b). Mas logo aparecem decepções  falhas recorrentes, a ponto de obreiros dizererem: muita coisa está errada dentro desta igreja. Nesta condição de fidelidade a Cristo e às Escrituras Sagradas é que “seremos arrebatados… num abrir e fechar de olhos…” (1 Ts. 4.17; 1 Co. 15.52).

Portanto, ARREBATAMENTO JÁ!

Tenho por firme, que a porção das Escrituras que RECUSAMOS, é sempre aquela que nos torna INÚTEIS PARA O REINO DE DEUS. Cristão, escreva isto em seu espírito e esteja certo desta máxima. Dispensa demonstração por ser escrituristicamente verdadeira. Sua consciência já falou ai dentro do coração.

Você não precisa concordar comigo. Porém, NUNCA poderá dizer: ninguém me avisou.

NOTAS:

Artigo acrescido e revisado em 17.12.2011.

Artigo apresentado na Comunidade Já fui um Maranata em 31.08.2008. Daí em diante ele aparece em diversos Blogs e Sites. Atualização e re-estilização na data desta republicação.

Expressões e frases entre aspas e itálico pertencem à Almeida, RA-SBB. Aquelas sem aspas e em itálico aparecem em apostilas da ICM-PES.

(1) Antes que deletem, copie o conteúdo da apostila “Os Valentes da Obra” em http://doutrinarevelada.blogspot.com/2009/05/os-vanentes-da-obra-davi.html

(2) O Estatuto da ICM-PES emhttp://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=1278527&tid=2533346986709427110&na=4

(3) O cabalístico 37 é mais curioso do que se pensa. Os números 111, 222, 333, 444 etc., são todos múltiplos de 37, ou seja: multiplicando 37 por 3, 6, 9,… (seguindo a seqüência) obtêm-se estes mesmos números.

(4)  http://www.espada.eti.br/n1478.asp

(5) Gedelti V. T. Gueiros – Revista Personalidades – A Quarta Trombeta, ano IV, n. 13, 1998, pgs. 39-41. Neste mesmo sentido: Guia Verbo, 1a. ed., 2002, pgs. 20-30; VerboNews – Edição Especial – Editora e Marketing Ltda, n. 13, Ano 2, Abril de 2006, pgs. 20-24.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/09/a-obra-construindo-heresias/

Um diácono músico ao fazer louvor, gesticulava de forma suave como um maestro. Isso incomodou os outros que não conheciam música e um deles teve uma “revelagem” onde Deus disse: “dispenso os maestros”. Chega a ser ridiculamente patética uma coisa dessas. O triste é saber que aceitávamos este tipo de imbecilidade calados. Dá nojo só de lembrar as bizarrices.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/06/discriminacao-e-preconceitos/#comment-14015

A igreja Cristã Maranata deveria ser processada não apenas por desvio de Dízimo, mas pelo dano causado em muitas vidas sinceras que ali um dia adentraram. Quantos de nós sofreram humilhações , ameaças a partir de manipulação de dons espirituais, danos psicológicos e porque não dizer materiais.
A escravidão e o fanatismo espiritual que fazem da maioria dos membros robozinhos, prontos a acatar qualquer ordem dos dirigentes,ontem pela manhã todas as igrejas foram convocadas para um seminário onde de forma pretensiosa através de satélite eles argumentaram sobre os fatos que estavam ocorrendo , deixando claro que devemos muito a “OBRA” , que a “OBRA” é tudo para nós, que sem a “OBRA” estaríamos perdidos, manipulando aqueles que não querem acordar a se voltar contra qualquer um que questione contras os desmandos dessa religião que Graças a Deus tem sido desmascarada de forma incontatável.
.
.
Fernanda,
Boa observação.
Entendo que no contexto da corrupção denunciada especialmente neste SITE (aqui a mídia colhe informações preciosas), em cima dos danos morais e psicológicos oriundos de abuso de autoridade eclesiástica e falso profetismo o bom pensar do Judiciário terá condições de fundamentar sentença e construir jurisprudência.
CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/07/a-conspiracao/comment-page-4/#comments

Quem tiver interesse leia a história de Jim Jones e da seita dele – peoples temple christian church – no final em 1978 morreram 900 fieis e entre eles mais de 200 crianças…
Só para ter uma ideia até onde pode levar o fanatismo quando o motorista do ônibus for louco mesmo.

PAZ

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/06/desertores-quem-sao-e-onde-estao/#comment-13834

“OBSCURANTISMO” – Uma doutrina da ICM
2.1.5. O Obscurantismo é o método de governo que oculta fatos e argumentos que possam denunciar ou contradizer os atos, as decisões e as afirmações de certos grupos que se arvoram donos da verdade. É um recurso político e religioso que se opõe a difusão do conhecimento entre os subalternos do sistema.

É um estado de espírito oposto à razão e ao progresso intelectual e material; um desejo de não instrução ao povo; engenhosamente objetivando um estado de completa ignorância (desinformação) aos subordinados. Seja conhecimento a nível social, político, religioso e cultural, é o sistema que nega a instrução e o conhecimento às pessoas para preservar o estado de ignorância de modo a facilitar o poder de controle das Instituições.

2.1.5.1. O Secretismo Religioso é um dos artifícios amplamente recorridos na Maranata. O caráter secreto é um inerente atributo das reuniões e encontros do sistema religioso da Maranata cujo objetivo é tornar seu sistema fechado, isolado, a fim de não expor as intimidades dos conteúdos teológicos, das decisões administrativas e das determinações sobre a vida das pessoas enquanto membros da Maranata.
.
Há uma enormidade de reuniões com caráter secreto, para as quais, rigorosamente, só determinadas castas “superiores” ou “edificadas” da igreja podem participar. Os componentes dessas reuniões ou encontros seguem a cartilha de que jamais podem revelar o conteúdo ou assunto tratado, para que se mantenha oculto, em mistério, as matérias expostas aos não participantes.

Além da parte prática, que é ocultar informações e decisões dos visitantes e membros, o secretismo religioso tem o poder de suscitar, naturalmente, nos adeptos das reuniões às portas fechadas a sensação de mistério e privilégio espiritual sobre o restante dos membros não participantes, comumente reputados pelo sistema como “não-edificados” suficientemente para receberem tal “conhecimento”.

As práticas secretas estimulam uma vaidade elitista, orgulho religioso e ostentação espiritual ao participante. Reuniões de pastores, “culto-proféticos”, seminário de 7º período, “grupo de intercessão”, algumas reuniões de jovens, reunião de obreiros, são exemplos de reuniões que são revestidas da capa do obscurantismo religioso.

2.1.5.1.1. De acordo com a teologia da Maranata, Deus revelou a liderança “Segredos da Obra”. Se há secretismo religioso entre os internos, por conseguinte, em relação aos de fora, é mais acentuado. Muito embora as palavras de Jesus asseverem que tudo que se falar às escondidas deve ser anunciado sobre os telhados e nada há oculto para que seja revelado, na Maranata, porém, é ensinado que Deus houvera revelado “segredos da Obra” especialmente a seus fundadores, de tal sorte que é terminantemente proibido se falar dos detalhes e minúcias do sistema da Maranata a pessoas não-membros.

Tais “segredos” seriam as doutrinas originais e particulares da teologia da Maranata, assim como os conteúdos expostos em seminários, reuniões, encontros e distribuídos em apostilas. Ao curioso deve ser explicado tudo de forma evasiva e superficial – “não podemos revelar o segredos dessa Obra”.

Seminários, cultos e reuniões, por exemplo, são proibidos expressamente de serem gravados, seja até mesmo em áudio. Já se chegara até a proibir meras filmagens e fotografias dentro dos “maanains”, a fim de preservar a sensação de mistério e pretensão espiritual do local.

2.1.5.2. A Falta de Prestação de Contas ou Intransparência Orçamentária é diretriz basilar do governo da Maranata. Os valores arrecadados dos dízimos e ofertas são omitidos dos adeptos, ficando tão-somente sob a ciência do Presbitério (em matéria geral) e do pastor e tesoureiro (a guisa local).

Não há prestação de contas ou exposição do memorial descritivo de custos e arrecadações mensais aos membros, tampouco dos negócios firmados pelo Presbitério na aquisição e alienação de bens. O Estatuto da Instituição Religiosa, também, é omitido dos membros que não podem reclamar o seu acesso e ciência, sob pena de sofrerem retaliações e sanções.

Não obstante ensinarem que “o maanaim é dos membros”, não se justifica o motivo pelo qual levou a alienação de algum deles. Tudo é muito oculto e nada pode ser revelado em matéria que envolva administração de finanças, as quais estão totalmente a mercê da consciência do Presbitério.

E a Palavra do Senhor Jesus diz:

“Jesus lhe respondeu: Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde os judeus sempre se ajuntam, e nada disse em oculto.”
 João 18:20

“Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo.” João 7:4

“Porque nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se. O que vos digo em trevas dizei-o em luz; e o que escutais ao ouvido pregai-o sobre os telhados.” Mat 10:26-27

E Paulo explica o motivo pelo qual seitas utiliza a política do obscurantismo:

“Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade.”2 Co 4:2

Sugestivo e muito.

Em Cristo.

Fonte:http://obramaranata.wordpress.com/governo-e-organizacao/

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/04/poder-camaleonico/#comment-12612