Posts com Tag ‘julio cezar’

NADA FICA ENCOBERTO II

"pastor" coronel Julio Cezar

“pastor” coronel Julio Cezar

Agora vejam a declaração do “pastor” coronel Julio Cezar sobre estas ações contra o jornal, leiam:

“O interventor da Igreja Maranata, indicado pela Justiça do Espírito Santo, coronel aposentado e pastor Julio Cezar Costa, esclareceu que a atitude não foi tomada pela Igreja, partiu de uma vontade PESSOAL dos pastores. Ele ainda afirmou não saber quem são os membros (Como membros pelo estatuto são os pastores usam os membros para defesa) da instituição que tomaram a iniciativa das ações”

“A Igreja Cristã Maranata, como instituição de fé, não promoveu nenhum ajuizamento judicial contra a Rede Gazeta, não sendo, portanto, a nota da ANJ dirigida contra uma atitude da Igreja, que se mantém idônea e propagadora da fé cristã, sem nenhum tipo de juízo de valor sobre atitudes tomadas por membros que a ela pertencem. A Igreja Cristã Maranata não tem nenhum fato que possa desmerecer a atuação da imprensa livre e responsável no país, e quando ela se julgar, caso julgue algum dia, ofendida por um veículo ou uma matéria, poderá ou não recorrer aos dispositivos constitucionais disponíveis neste país”, disse.

O interventor também ressaltou que é a favor da imprensa livre. “Somos pela liberdade de imprensa, democracia, mas também desejamos que a instituição não seja confundida em seu todo com atitude de alguns que a ela possam pertencer. Deixamos bem claro também que não exerceremos qualquer juízo de valor sobre a atitude legal promovida pelos pastores que se sentiram ofendidos pela suposta violação por parte do jornalismo da Rede Gazeta, de símbolos sagrados para o cristianismo, tal qual a Bíblia”, disse.
——————————————————————————–

LEIAM NOVAMENTE A GRAVAÇÃO:

Jornal
(Conversa entre os pastores Daniel Moreira e Marco Picone)
– “(…) vão entrar com esse grupo de ações (…) eu vou aprovar e depois ele entra, tudo dentro da estratégia (…) dará um trabalho tremendo ao jornal, pois terão que viajar todo o Brasil para ver isso (…)” Daniel diz “que foi o Varella que deu essa ideia do juizado especial e mostraria um padrão que espalhasse para quem quisesse o material à disposição (…)”

E AGORA?

Foi mesmo uma vontade PESSOAL dos pastores???

Gente não é possível que diante de tudo tão claro alguns ainda vão ficar nesta de “não olho para o homem”, “não sirvo ao homem”, “Deus vai julgar”, “Deixa nas mãos de Deus”, “Não temos o direito de julgar”, “Nada está provado” (Querem mais provas?) “Cada um cuide da sua salvação”, “Em todo lugar tem falha”, Não existe igreja perfeita” e outros argumentos falaciosos mais que acabam protegendo quem manchou o nome da igreja.

PELO AMOR DE DEUS ACORDEM……..

fonte: https://www.facebook.com/groups/apriscomaranata/

Anúncios

seita maranata – igreja? deixa me rir… Somente lá que Deus fala? Estou mijando de rir… agora até processam irmão que simplesmente pedem em público transparência e a verdade! E QUEM representa  no processo (claro sob ordem do todopoderoso gedelti)? Um PM corrupto, um pastor sem vergonha – o coronel boca suja! O anti cristo usando de todos os direitos que a lei humana lhe concede para manter sua máscara e continuar a enganar suas vítimas!

fundador e dono da maranata - o VPC - vértice da pirâmide criminal

fundador e dono da maranata – o VPC – vértice da pirâmide criminal

QUEREM ME CALAR DE TODA FORMA!!!

Agora é processo!!!

Vamos para o pau sem medo, pois não tenho o que temer e nem me calarei perante as injustiças….

Processo : 0028544-98.2013.8.08.0048

Petição Inicial : 201301336569
Situação : Tramitando
Ação : Notificação para Explicações
Natureza : Juizado Especial Criminal
Data de Ajuizamento: 10/10/2013
Vara : SERRA – 2º JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL
Distribuição Data : 10/10/2013 14:58
Motivo : Distribuição por sorteio Partes do Processo

Requerente JULIO CEZAR COSTA 999998/ES – INEXISTENTE

coronel julio cezar - o boca suja da seita

coronel julio cezar – o boca suja da seita

Requerido REGINALDO NOGUEIRA

Andamentos 29/11/2013
Autos concluso para despacho 21/10/2013
Autos recebidos em cartório SERRA – 2º JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 16/10/2013 Autos remetidos ao Ministério Público
16/10/2013 Aguardando MP 11/10/2013
Autos recebidos em cartório SERRA – 2º JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 10/10/2013 Autos carga SERRA – 2º JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 10/10/2013 Processo distribuído

fonte: https://www.facebook.com/groups/maranatarevelada/

NA ÉPOCA DA “OPERAÇÃO NAUFRÁGIO” DA PF EM FACE DE COMPRAS DE SENTENÇA E TAMBÉM COM VINCULO NA MORTE DE ALEXANDRE MARTINS O JCC, O BOCA SUJA, ERA PASTOR DA ICM DE SANTA CECILIA. AMIGO DO DES DUQUE

Cavaleira da/Verdade disse:

BOM DIA!

Vínculos suspeitos

Corrupção promovida por uma instituição que se diz religiosa - a maranata.

Corrupção promovida por uma instituição que se diz religiosa – a maranata., maranata,

Na época da “operação naufrágio” da PF em face de compras de sentença e também com vinculo na morte de Alexandre Martins o JCC, o Boca Suja, era pastor da ICM de Santa Cecilia. Amigo do Des Duque que foi preso com 500 mil em dinheiro. Esse dinheiro foi dado pelo PES para calar testemunhas de acusação contra gente ligada à ICM. A esposa do Des Duque trabalha no manaaim há mais de 30 anos e o Des Duque visitava a igreja do JC boca suja. Nessa época Paulo Artung e Feu Rosa eram aliados E as testemunhas iriam incriminar Paulo Hartung no assassinato do Juiz Alexandre Martins.

500.000,00 da icm na mão de estranhos para abafar crimes… grana veio de lá, esse pessoal já era sujo há muito tempo. Estão com o pescoço atolado em um lamaçal de iniquidades sem fim.

É muita gente envolvida nesse assassinato! O filho do Des Duque se chama Paulo que e sócio num escritório de advocacia do jhony líevori que é amigo do Coronel JC. ICM-PES + Paulo Hartung + Feu Rosa + jhony + cel boca suja.

O Juiz Alexandre descobriu toda a sujeira das compras de sentenças cujos envolvidos são os que acima citei. No inicio ele achava que a banda podre era o Gratz, mas no desenrolar das investigações chegou na quadrilha do Paulo Hartung que tem o apoio financeiro do Papagueiros GG.

MP aperte o cerco contra a banda podre da ICM-PES que chegarão na morte do Juiz Alexandre cuja sociedade clama por Justiça. Isso tem que ter fim!
Paz!
.
.
“Operação Naufrágio” resultou em DENÚNCIA do MPF ao STJ cuja Rel. foi a Min. Laurita Vaz.http://s.conjur.com.br/dl/denuncia-operacao-naufragio-tj-e.pdf

A quadrilha estava habituada em “fraude na distribuição de processos, recrutamento de interessados em negociar decisão judicial e controle das atividades do Tribunal: nepotismo, fraude em concursos e negócios com cartórios”.

Mais particularmente “EVENTO pr. JÚLIO” (pgs. 135-143) mostra a corrupção e as “marcas do passado”:

“329. Os Desembargadores ELPÍDIO JOSÉ DUQUE e ALINALDO FARIA DE SOUZA, cedendo à influência de PAULO DUQUE e JOHNNY LIEVORI, praticaram ato de ofício com infração de dever funcional, consistente na prolação de decisão concessiva de liminar e voto, respectivamente, favoráveis aos interesses de Júlio Cézar Costa. Assim agindo, praticaram o crime de corrupção passiva privilegiada (art. 317 § 2º do CP).

330. Por último, o Desembargador FREDERICO GUILHERME PIMENTEL, tendo patrocinado os interesses ilegítimos de Júlio Cezar Costa junto ao TJ-ES, valendo-se da qualidade de Presidente da Corte e cedendo à influência de PAULO DUQUE e JOHNNY LIEVORI, praticou o crime de advocacia administrativa qualificada (art. 321 parágrafo único do CP).

Na TABELA DE IMPUTAÇÕES (fls. 239) os envolvidos no “EVENTO pr. JÚLIO”.

Por enquanto,

Se perguntar não ofender e ciente dos levantamentos da “Operação Naufrágio”, como a Sociedade está encarando essa “nomeação”?

fonte: http://cavaleiradaverdade.wordpress.com/2013/05/15/na-epoca-da-operacao-naufragio-da-pf-em-face-de-compras-de-sentenca-e-tambem-com-vinculo-na-morte-de-alexandre-martins-o-jcc-o-boca-suja-era-pastor-da-icm-de-santa-cecilia-amigo-d/

cuidado seita maligna maranata

cuidado seita maligna maranata

MP, precisa tomar alguma medida para impedir os coronéis Duguay e Julio César, de continuarem a usar aquelas vigílias da quinta-feira em Carapina, pois os diáconos e obreiros e irmãs que estão frequentando estão perseguindo os que não vão. Através daquela maneira dissimula de mostra que, os rebeldes não estão participando das vigílias, seminários, encontros, e dando crédito a quem entrega os irmãos que são contra manipulação das nossas mentes.
.
.
“…perseguindo os que não vão”.
.
.
José Maria

A DENÚNCIA ANÔNIMA é importante nesses casos. Leia o constante do link abaixo:

https://obramaranatarevelada.wordpress.com/2013/07/20/maranata-albert-velten-bitran-genro-de-gedelti-gueiros-adquiriu-recentemente-um-apartamento-de-r-1-400-00000-hum-milhao-e-quatrocentos-mil-reais-na-mata-da-praia-e-um-iate-de-r-2-000-00000/#comment-8600

Entendeu como funciona? A Delegada encaminhou para o MP.

Esses meia-solas oportunistas e remendados não passam de espantalhos! Não tenho outro termo para esses filhos do gedeltismo, nascidos no pandulho da rainha desfigurada. Aqueles que se acham valentes da Obra deixaram a membresia nas garras dos donos de balcões de negócios e dormiram enquanto os Judas da elite eclesial metiam a mão no dinheiro… Decepção! Frouxos!

Faça sua parte para ACABAR COM A CORRUPÇÃO NA MARANATA…

Não espere mais.

Leia o exposto em http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/06/fundador-da-igreja-maranata-e-detido-e-presbiterio-e-interditado-no-es/

Não tenham medo desses homens.

O gedeltismo é apostasia coletiva, beco sem saída, caminho escorregadio, casa mal-assombrada, coisa que causa nojo, escola de anticristos, estrada tortuosa, fábrica de demandas judiciais, fábrica de notas fiscais frias, mitos que levam a nada, nuvem do não-pensar, pandulho de meias-solas, pedra de tropeço para os crentes, poço de iniquidades, “outro evangelho” e sombras e vitupério.

Quem quiser fique lá, dando ouvidos os coronéis maranáticos.

Tô fora!!!

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/06/fundador-da-igreja-maranata-e-detido-e-presbiterio-e-interditado-no-es/#comment-11313

Oi , CV . Estou entre confusa e pasma ! Fiquei sabendo que aquele coronel reformado o Júlio Cesar foi condenado na Justiça Federal . Preciso desta informação pq estão espalhando aqui na nossa igreja uma carta dizendo que ele é inocente e nada deve a Justiça mas não sei como vc pode me ajudar . Nunca pensei em tanta coisa errada nesta igreja e to a ponto de sair… Compreendo se não quiser cuidar deste assunto. A PAZ.
.
.
Olá Mirtes, a SENTENÇA está disponibilizada no SITE da JUSTIÇA FEDERAL. Leia emhttp://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/06/snapshot-news-ii/

529906_456360181103392_1476828664_nsnapshop 63Condenado na JUSTIÇA FEDERAL – Processo 0011921-54.2004.4.02.5001 Número antigo: 2004.50.01.011921-9 6006 – AÇÃO CIVIL PÚBLICA – IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
Sentença Disponibilizada. (…) “JÚLIO CESAR COSTA: 5.1) ao ressarcimento ao erário do montante original de R$ 10.150,00; 5.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 10.000,00; 5.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00; 5.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).”

Esse coronel reformado da PM era o interventor da Maranata a pedido da liderança da igreja-empresa; mas logo depois da publicação desta SENTENÇA ele foi exonerado por haver desobedecido a instruções do Juiz responsável pelo Procedimento Investigativo Criminal.

Mais detalhes em

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/06/snapshot-news-ii/comment-page-1/#comment-54062

https://obramaranatarevelada.wordpress.com/tag/interventor/

https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz

Paz.

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/07/conhecendo-a-maranata-por-dentro/#comment-54641

Membros da Maranata são presos por ordem da Justiça

Entre os presos está o pastor e um dos fundadores da Igreja Gedelti Gueiros

NUNO MORAES | jmoraes@redegazeta.com.br
 Nestor Müller

Gedelti Victalino Teixeira Gueiros, preso na manhã desta segunda-feira por determinação da Justiça Estadual.

Nove pessoas ligadas à Igreja Maranata foram presas na manhã desta segunda-feira (24), durante uma operação do Grupo de Operações Táticas (Got) da Polícia Civil. Os policiais cumpriam 10 mandados de prisão expedidos pela 8ª Vara Criminal de Vitória.

Foram presos Gedelti Vitalício Gueiros, um dos fundadores da igreja, Antônio Ângelo Pereira dos Santos, Antônio Carlos peixoto, Amadeu Loureiro Lopes, Antônio Carlos Rodrigues de Oliveira, Carlos Itamar Coelho Pimenta, Jarbas Duarte Filho, Wallace Rozetti e Leonardo Meirelles Alvarenga. Em prisão domiciliar já se encontrava Arlindo de Oliveira Rocha, também citado nos mandados de prisão.

Elas teriam praticado suposto desvio de dízimo da igreja envolvendo uma movimentação financeira da ordem de R$ 24,8 milhões. A denúncia do MPES atinge 19 pessoas. O número de presos ainda não foi divulgado.

> Leia mais notícias de Cidades

Todos os presos foram levados ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória. A operação teve início por volta das 5 horas de ontem. As equipes de policiais agiram em Vitória, Vila Velha e Serra, indo aos endereços dos procurados. Leonardo e Wallace foram os últimos a serem localizados, chegando ao DPJ entre às 9 e 10 horas. Os outros sete foram levados ao local logo no início da manhã.

Depois de apresentados, todos os presos – com exceção de Arlindo – foram levados para o Departamento Médico Legal (DML), para exames de lesão corporal. Depois, seriam encaminhados ao Centro de Triagem (CT) de Viana. De lá, vão ser levados para presídios da Grande Vitória ou para o Quartel Geral da Polícia Militar.

Na saída do DPJ, Gedelti falou, sorrindo, nem mesmo saber o motivo de sua prisão. “Nem sei o motivo disso, porque estou sendo preso. Ninguém me disse nada”, falou o fundador da Maranata.
Já o advogado da igreja, Gustavo Varella, disse que a defesa dos acusados tambpem não havia sido informada de nada. “Soubemos dos mandados de prisão hoje pela manhã, quando eles já estavam sendo cumpridos. Não sabemos os motivos, porque a decisão judicial que os motiva não foi apensada aos mandados. Não sabemos porque”, disse o advogado.

Varella disse que a defesa dos presos pretende tomar ciência da motivação da prisão, para só então poder definir o que será feito. “Vamos ter que apurar o assunto. Não sabemos de nada ainda”, finalizou ele.

Novo Interventor

O interventor da instituição, Júlio César Costa, foi destituído do cargo pela Justiça e o engenheiro Antônio Fernando Barroso Ribeiro assumiu o cargo. O novo interventor é conhecedor e frequentador da Igreja Cristã Maranata e já atua como perito judicial há 15 anos.

Além da prisões, a Justiça ordenou lacrar o presbitério da Igreja Maranata, impedindo a saída e entrada de pessoas do local.

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2013/06/noticias/cidades/1450696-membros-da-maranata-sao-presos-por-ordem-da-justica.html

Boa noite!
Apaz
Fico idiguinada!
Como o Ministerio Publico ainda pode confiar no Julio Costa para intervenção do PES . É um absurdo!
Gente!
Não tem niguem para levar estas provas todas e mostrar ao ministerio levar para o Juiz?
Sera que estes manaims ainda ira continuar levando uma turma de jovens , la para dentro , comfinados a sete chaves? Aqui na minha cidade saiu um onibus cheio de jovens!
Esta deste jeito!
.
.
Yone,

A indignação é geral.

Esta indicação NÃO foi do Ministério Público. Foi da ICM-PES com o dedo de Gedelti.

Observe na informação deixada que o MP-ES atuou como parte neste processo. MP-ES, MPF e a UNIÃO.

Por isso o Blog está insistindo em MANIFESTAÇÃO AO CNJ.

http://www.cnj.jus.br/ouvidoria-page/registre-sua-manifestacao

CV.

http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/06/snapshot-news-ii/#comment-54070

Revista Fui!.page09

CV, se me permite, chega a ser SUSPEITA a indicação de Júlio Cézar Costa como interventor da Maranata (mencionado na Operação Naufrágio) pois trata-se de AÇÃO CIVIL PÚBLICA IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA proposta por
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL,
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO e
UNIÃO FEDERAL

0011921-54.2004.4.02.5001
Número antigo: 2004.50.01.011921-9
6006 – AÇÃO CIVIL PÚBLICA/IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
Autuado em 23/11/2004 –
Consulta Realizada em 21/06/2013 às 13:34
AUTOR : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL E OUTROS
PROCURADOR: CARLOS FERNANDO MAZZOCO
REU : JULIO CEZAR COSTA E OUTROS
ADVOGADO : JOAO LIEVORI E OUTROS
5ª Vara Federal Cível – MARIA CLAUDIA DE GARCIA PAULA ALLEMAND
Juiz – Sentença/Julgamento: MARIA CLAUDIA DE GARCIA PAULA ALLEMAND
Redistribuição Dirigida em 10/11/2010 para 5ª Vara Federal Cível
Objetos: ATOS E PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS
EXISTEM 13 DOCUMENTOS APENSOS PARA ESTE PROCESSO.

Concluso ao Juiz(a) MARIA CLAUDIA DE GARCIA PAULA ALLEMAND em 14/12/2012 para Sentença/Julgamento SEM LIMINAR por JESRSDA

SENTENÇA TIPO: A – Fundamentacao individualizada LIVRO REGISTRO NR. 000489/2013 FOLHA
Custas para Recurso – Autor: R$ 0,00
Custas para Recurso – Réu: R$ 0,00

……….

Ante o exposto, nos termos da fundamentação retro, JULGO PROCEDENTE a pretensão autoral para:

I – com fulcro no art. 12, I, II e III da Lei nº 8.429/92, condenar os Réus nas sanções adiante expostas:

FUNDAÇÃO CECILIANO ABEL DE ALMEIDA – FCAA:
1.1) ao ressarcimento ao erário do valor original de R$ 209.172,00 (responsabilidade solidária com o Réu ROBERTO SARCINELI BARBOSA), devidamente atualizado;
1.2) ao pagamento de multa civil na quantia correspondente a R$ 20.000,00;
1.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 10.000,00;
1.4) à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 10 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

ROBERTO SARCINELLI BARBOSA:
2.1) ao ressarcimento ao erário do valor original de R$ 209.172,00 (responsabilidade solidária com a FCAA), devidamente atualizado;
2.2) ao pagamento de multa civil na quantia correspondente a R$ 20.000,00;
2.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 10.000,00;
2.4) à perda da função pública de confiança exercida por ocasião do trânsito em julgado desta sentença, devendo ser mantido no cargo público efetivo que porventura estiver ocupando;
2.5) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 10 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

EDSON RIBEIRO DO CARMO:
3.1) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 20.000,00; 3.2) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 10.000,00;
3.3) à perda da função pública de confiança exercida por ocasião do trânsito em julgado desta sentença, devendo o Réu ser mantido no cargo público efetivo que estiver ocupando; 3.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 10 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

PEDRO DELFINO:
4.1) ao ressarcimento ao erário do montante original de R$ 3.710,00;
4.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 10.000,00; 4.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00;
4.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

JÚLIO CESAR COSTA:
5.1) ao ressarcimento ao erário do montante original de R$ 10.150,00;
5.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 10.000,00; 5.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00;
5.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

JOÃO ANTÔNIO DA COSTA FERNANDES:
6.1) ao ressarcimento ao erário do montante original de R$ 15.960,00, devidamente atualizado;
6.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 10.000,00; 6.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00;
6.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

EDMILTON RIBEIRO DE AGUIAR JÚNIOR:
7.1) ao ressarcimento ao erário do montante original de R$ 980,00, devidamente atualizado;
7.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 10.000,00; 7.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00;
7.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

JOSETTE BAPTISTA:
8.1) ressarcimento ao erário do montante original de R$ 13.600,00, devidamente atualizado;
8.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 5.000,00; 8.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00;
8.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

PEDRO JOSÉ NUNES:
9.1) ao ressarcimento ao erário do montante original de R$ 13.600,00, devidamente atualizado;
9.2) ao pagamento de multa civil no valor de R$ 5.000,00; 9.3) ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 5.000,00;
9.4) à suspensão dos direitos políticos e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos, a contar do trânsito em julgado (art. 14 da Lei nº 7.347/85).

Sobre os valores pecuniários, deverá incidir a Taxa Selic – que engloba juros de mora e correção monetária -, sendo que, em relação à multa e à indenização por danos morais, a incidência será a partir do seu arbitramento nesta sentença, consoante a aplicação por analogia da Súmula nº 362 do STJ , e, quanto aos danos materiais, a partir do efetivo prejuízo (Súmula nº 43 do STJ).

Os recursos decorrentes da condenação em pecúnia serão revertidos proporcionalmente em favor das pessoas jurídicas lesadas (83,33% devido à União e 16,66%, ao Estado do Espírito Santo), nos termos do art. 18 da Lei nº 8.429/92 . Isenção de custas judiciais e de honorários advocatícios, nos termos do art. 18 da Lei nº 7.347/85 . Dispensada a remessa necessária ao TRF da 2ª Região em razão da procedência da pretensão autoral.

Dispensada a expedição de ofício ao Relator dos Agravos de Instrumentos noticiados nos autos, porquanto, conforme consulta processual no sítio eletrônico do TRF da 2ª Região, todos eles já foram arquivados.

II – decretar, conforme pleiteado pelo MPF, a indisponibilidade dos bens dos Réus, tantos quantos bastem para assegurar o resultado útil desta sentença, por meio das seguintes diligências: Antes, porém, registre-se a sentença.

II.1) Proceda-se, com fulcro no art. 655-A do CPC c/c o art. 1º da Resolução nº 524 do Conselho da Justiça Federal, mediante consulta ao Sistema BACENJUD à tentativa de localização e de bloqueio de saldos em contas bancárias e de ativos financeiros de titularidade dos Réus até o limite dos valores adiantes expostos, cabendo ressaltar que incumbe a estes comprovarem a eventual impenhorabilidade das importâncias encontradas, na forma do § 2º do art. 655-A do CPC. Vejamos: FCAA – CNPJ 27.414.879/0001-74 R$ 371.357,92 ROBERTO SARCINELLI BARBOSA – CPF 201.868.197-49 R$ 371.357,92 EDSON RIBEIRO DO CARMO – CPF 196.345.286-00 R$ 30.000,00 PEDRO DELFINO – CPF 418.500.097-91 R$ 21.054,53 JÚLIO CESAR COSTA – CPF 754.180.887-34 R$ 31.564,28 JOÃO ANTÔNIO DA COSTA FERNANDES – CPF 386.840.806-10 R$ 41.045,90 EDMILTON RIBEIRO DE AGUIAR JÚNIOR – CPF 916.086.947-04 R$ 16.599,31 JOSETTE BAPTISTA – CPF 226.582.385-68 R$ 32.194,50 PEDRO JOSÉ NUNES – CPF 716.870.337-49 R$ 32.194,50 Ressalvo, por oportuno, que, havendo retenção de valores irrisórios, autorizo, desde já, o seu imediato desbloqueio. De fato, não se afigura razoável mover a máquina do Poder Judiciário, o que implica custos elevadíssimos ao Erário, para trazer benefícios tão insignificantes ao credor. É o que se depreende dos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade.

II.2) Proceda a Secretaria à pesquisa, por meio do Sistema RENAJUD, da existência de veículos de propriedade dos Réus, bem como à inserção da restrição à transferência no(s) veículo(s) localizado(s), a fim de resguardar o resultado efetivo de futura e eventual penhora sobre o(s) mesmo(s) bem(ns). Aguarde-se a resposta às solicitações. Somente após decorrido o prazo de 5 dias, suficiente para evidenciar o sucesso ou o fracasso da diligência (com a obtenção das informações prestadas pelas instituições financeiras e a transferência dos valores porventura localizados), intimem-se os Réus. Publique-se. À SEDIC para que proceda à inclusão do CPF do Réu EDMILTON RIBEIRO DE AGUIAR JÚNIOR (CPF 916.086.947-04) no Sistema MPF APOLO.

Após o trânsito em julgado: 1) oficie-se ao Tribunal Regional Eleitoral, ao qual os Réus estão vinculados, para que proceda à suspensão dos seus direitos políticos (ativos e passivos), pelo(s) prazo(s) fixado(s) para cada Réu; 2) oficie-se aos Ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Fazenda para que procedam à restrição quanto à proibição da contratação dos Réus com o Poder Público e de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, no(s) prazo(s) fixado(s) para cada Réu; 3) oficie-se à Junta Comercial deste Estado para que vede qualquer alteração nos contratos sociais porventura ali registrados que figurem os nomes dos Réus no quadro societário, no(s) prazo(s) fixado(s) para cada Réu (de acordo com o item 2) retro); e 4) insiram-se os nomes dos Réus no Cadastro Nacional dos Condenados por Ato de Improbidade Administrativa, estabelecido pela Resolução nº 044, de 20/11/2007, do Conselho Nacional de Justiça . Ao final, nada sendo requerido, dê-se baixa e arquivem-se os autos.
————————————————————–
Edição disponibilizada em: 20/06/2013
Data formal de publicação: 21/06/2013

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/06/snapshot-news-ii/#comment-54066

Revista Fui!.page09

Quer dizer que o coronel-pastor maranático resolveu demandar contra Jureth Morais Cunha (Proc. 0005481-19.2013.8.08.0024) alegando ser vítima de difamação? Agora, como interventor, graças a manobras palacianas ele declara ser dependente espiritual do chefe religioso. Isto mostra algum exemplo de modelo de homem espiritual para a membresia?

seita maranata - destruindo famílias

seita maranata – destruindo famílias

E o que dizer de “O EVENTO pr. Júlio” constante na DENÚNCIA do Ministério Público Federal (pgs. 135-143) apontando a conduta daquele que correu atrás de interesses ilegítimos junto ao TJ-ES? Que exemplo de integridade, hein?

Esse interventor chegou a essa condição na maranata devido as manobras de Gedelti Gueiros e esta sua influência em órgãos públicos não é novidade nenhuma, por ser dono da maranata e bajulado por políticos como chefe do curral eleitoral maranático. Lembram do Amadeu com o “solidariedade”?.

Não é à toa que o Papa Gueiros conseguiu a indicação desse Julio como interventor, pois o mesmo declarou que a atuação dele como interventor depende de orientações espirituais do chefe religioso que veio a ser declarado na DENÚNCIA DO MP-ES como o VPC – vértice da pirâmide do crime.

Será que foi por orientação do sinhô que Julio demandou Jureth, ou foi por ordem do chefe da seita?

Gente covarde e dissimulada não falta nessa banda podre, não tem coragem de assumir seus atos e colocam o nome de Deus em todos as coisas erradas que fazem e dizem: ossorrevelô.

Essa intervenção está uma vergonha!

O VPC continua mandando e desmandando, dando um tapa na cara da Sociedade, do Judiciário e do Ministério Público. Quem vai frear essa banda podre hein? Já está passando da hora de desligar esse Julio… dependente espiritual do VPC.
.
.
https://obramaranatarevelada.wordpress.com/2013/05/31/maranata-a-astucia-da-elite-maranatica-na-arte-do-crime-e-coisa-que-deixou-a-membresia-com-a-mao-no-queixo/

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/05/snapshot-news/#comment-53597