Além do dízimo, Maranata também é suspeita de desviar dinheiro público

Folha Vitória

Redação Folha Vitória
igreja cristã maranata - Além do dízimo, Maranata também é suspeita de desviar dinheiro público

igreja cristã maranata – Além do dízimo, Maranata também é suspeita de desviar dinheiro público

Além da denúncia de se apropriar indevidamente do dízimo dos fiéis, a Igreja Maranata também está sendo investigada por envolvimento em um suposto desvio de dinheiro público. Os indícios dos crimes foram descobertos durante a deflagração da Operação Entre Irmãos, realizada pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) nesta segunda-feira.

De acordo com as investigações, os líderes da igreja são suspeitos de utilizar policiais para guarda e segurança de membros e templos, contratação de serviços superfaturados e desvios de emendas parlamentares destinada à Fundação Manoel Passos Barros, entidade vinculada à igreja.

Após a deflagração da Operação, a Igreja Cristã Maranata divulgou uma nota dizendo que recebe com “serenidade” a ação realizada pelo Ministério Público do Espírito Santo e Polícia Militar.

Por meio da assessoria, a igreja informou que acredita que “todos os pontos da investigação serão apurados devidamente pela Justiça” e que a operação será uma “oportunidade para que as dúvidas levantadas a respeito da idoneidade da instituição e dos seus gestores sejam eliminadas de uma vez por todas”.

A igreja informou ainda que desde que surgiram as primeiras denúncias, no início do ano, todas as medidas necessárias e cabíveis foram tomadas. “Da mesma forma, à época, colocou-se proativamente, à disposição das autoridades, levando até as mesmas as denúncias e solicitando a averiguação dos fatos. Por fim, a Igreja Cristã Maranata reafirma a sua disposição em contribuir para o esclarecimento das denúncias e a sua confiança no trabalho do Ministério Público e da Justiça”.

Os dirigentes da igreja são suspeitos, de acordo com o Ministério Público, de falsificação, ocultação e dissimulação de bens e valores. Durante a ação foram apreendidos documentos e computadores na sede administrativa da Maranata. Ao todo, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão.

O Ministério Público vai ouvir os investigados, testemunhas e eventuais colaboradores e membros da Igreja que tenham informações de irregularidades na gestão. Foram notificadas 26 pessoas para prestarem esclarecimentos a partir dos próximos dias.

Por ordem judicial, foi efetivada a quebra dos sigilos fiscal e bancário dos envolvidos e o sequestro de bens, ativos e valores supostamente desviados, visando ao resguardo e restituição à Igreja e aos cofres públicos.

As investigações, que tiveram início em fevereiro deste ano, colheram provas e indícios do envolvimento de membros da cúpula da Igreja que, através de pagamentos justificados por notas fiscais ilícitas e sem lastro, emitidas por fornecedores participantes do esquema, promoviam a saída irregular de caixa e de recursos da igreja, formando uma contabilidade paralela e atendendo interesses contrários à maioria dos membros, à vocação religiosa e às disposições estatuárias da igreja.

 

fonte: http://www.folhavitoria.com.br/policia/noticia/2012/11/alem-do-dizimo-maranata-tambem-e-suspeita-de-desviar-dinheiro-publico.html

Anúncios
comentários
  1. Anderson disse:

    A ICM vai afastar o Jedeuti e os outros envolvidos? É que ouvi dizer que ele se recusou a se afastar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s