igreja cristã maranata (gedelti gueiros) usando laranjas para se esconder

Publicado: 3 de março de 2012 em Testemunhos de obreiros, servos, pastores, diaconos
Tags:, , , ,

Por oportuno, aproveito a mensagem do do Atalaia do Norte neste artigo:

“ICM, o negócio da “China”

Amados irmãos, APSJ a todos.

Resido na região norte do país, na cidade de Belém, no Estado do Pará, e freqüento a ICM aqui em Belém já fazem cerca de oito anos e, é com muito pesar e tristeza, que venho acompanhando o desenrolar dos fatos que agora estão sendo mais amplamente divulgados através deste site, já que nas igrejas nada é divulgado, a não ser que a “Obra” está sendo “atacada por um bando de incircuncisos e desordeiros” e, que todos devem se levantar e defender a “Obra”.

Até os jovens foram convocados no último domingo (05/02) para ouvirem uma palavra (proferida por um pastor jovem) para defenderem a “Obra”, como fez Davi com Golias, porém a palavra proferida por aquele pastor mais parecia com um apelo dramático e desesperado de uma instituição agonizante tentando frear a fuga dos jovens, como se eles não tivessem vontade própria e discernimento dos acontecimentos.

De fato, tudo isto está parecendo mais a um “sepulcro caiado”, ou seja, por fora tudo muito limpo, arrumado e pintado, mas por dentro… . Realmente é triste ver todo o esforço e trabalho de irmãs e irmãos dedicados, aqui em Belém e em outras cidades do Estado do Pará, vir a terminar desta forma. Aquilo que diziam ser o que mais se preservava na ICM, que era a tão proclamada “integridade da Obra” ruiu como um castelo de cartas. A  imagem (e credibilidade) da ICM (não do Senhor é claro) foi arranhada e o risco de imagem hoje dia, para qualquer instituição (ou empresa) que se preze, tem um custo muito alto com a perda da fidelização de seus membros (ou clientes).

Mas uma coisa é certa, o atual Pastor Presidente não irá (como ele mesmo já disse via satélite) servir de mártir, portanto, o seu afastamento está praticamente descartado por sua própria vontade. O afastamento do Pastor Presidente só acontecerá por decisão judicial, e isso se a justiça vier a concluir que o mesmo não teve (e não tem) competência para gerir ou, pior ainda, se teve participação direta no insólito episódio. Lembremos, porém, que o PES está fortemente ligado a família Gueiros. Quanto a devolução do dinheiro de dízimo, não se iludam meus irmãos, é mais fácil um boi (ou elefante) voar.

Pelo desenrolar dos fatos, percebemos que os dois cidadãos, que estão sendo formalmente acusados não estavam sós nesta história toda. Aparentemente estão sendo é utilizados como “laranjas” para tentar salvar a pele (e os bens) de outros. Não dá para acreditar que uma instituição destas, com igrejas nos quatro cantos da Terra (é uma multinacional da fé, como muitas outras) tem a sua contabilidade atrasada em quatro anos.

Qualquer quitanda ou mercearia da esquina tem as suas contas em dia nem que seja em caderneta de anotações, ainda mais quando se afirma que possui um super-sistema de gestão financeira. É hilário afirmar que fazia as suas compras direcionadas por “visões”, como foi afirmado por certo pastor advogado. Mas meus irmãos, vamos analisar mais de perto em que de fato se tranformou a ICM atuamente. Vejamos o que faz (ou o que fez) da ICM um negócio da “China”, um bom negócio para algumas poucas pessoas do PES.

1º – Isenção de impostos (até aí tudo bem, isso é comum a todas as instituições tidas como de utilidade pública e que não visem lucro).

2º- Tesouraria e contabilidade centralizada e blindada, com acesso apenas um pequeno e privilegiado grupo de pessoas e, o que é pior, sem a devida prestação de contas (balanço contábil) a todos os membros da ICM, seja onde for. Demonstra falta de transparência e respeito para com a administração de recursos oriundo dos dízimos e doações. É aí que estava o “x” da questão, o grande perigo.

3º- Com a sua estrutura contábil centralizada, blindada e sem transparência, a ICM se transformou em uma instituição arrecadadora de recursos, como se fosse alguns órgãos públicos, onde o recurso entra mas ninguém sabe como e quanto e está sendo gasto. Esta foi a grande falha, pois ainda que os recursos estivessem sendo desviados para outros fins que não de interesse da “Obra”, mas se o PES tivesse tido o cuidado de fazer uma prestação de contas anualmente (ou semestralmente), mesmo que apresenta-se um balanço contábil falso (maquiado, vamos assim dizer), possivelmente a falcatrua ainda passaria por muito tempo ao largo da desconfiança dos olhos humanos, mas não do Senhor. Os valores do evangelho regem-se pela honestidade, pelo compromisso com a Palavra lançada. Equidade. Altruísmo. Integridade. Amor ao próximo. Se quiserem dar outra roupagem, chamem isso de probidade administrativa, eficiência, prestação de contas, justiça, responsabilidade fiscal, interesse no bem público. Isso tudo tem o bom aroma do Evangelho de Jesus e, não esse mau odor de lama que impregnou a ICM.

4º- Agora vem o que eu considero a grande “sacada” o “pulo do gato” da administração do PES, que foi a adoção, na sua doutrina, do trabalho voluntário nas igrejas. Trabalho voluntário é muito bonito e engrandecedor, principalmente quando se é servo do Deus Verdadeiro e o trabalho que se faz é verdadeiramente dedicado à Ele, porém isso torna-se uma “mão na roda” para qualquer administrador inescrupuloso, mas o que eu vejo é os  irmãos e as irmãs (inclusive eu também), nas igrejas e nos manaains, trabalhando cheios da vontade de servirem ao Senhor quando são, na verdade, usados, muitas das vezes sofrendo pressões por parte de “pastores”  e “diáconos” que ameaçam de destituir-lhes as suas funções (já sobrecarregadas) ou quando não são acusados ou taxados de “caídos” “esfriados” ou coisas parecidas, promovendo a extorsão de seus membros. Além disso, estende-se o conceito de trabalho voluntário para as ofertas e doações sob o pretexto de ajudar na manutenção das igrejas, onde tudo mais é doado, desde material de limpeza até coletas para aquisição de outras coisas inclusive material de construção. Ora se o dízimo já é pago, e se os pastores, por sua vez, não recebem salários, obviamente só podemos concluir que, tirada as despesas de energia elétrica, de água e aluguel (nos casos de imóvel alugado) todo o restante é contabilizado pelo PES e, se não há prestações de contas nem pelas igrejas locais (que, aliás, deveriam fazer também), quanto mais se não houver nem pela administração central (PES), aí tudo fica muito mais fácil. O custo total de manutenção das igrejas (seja ela onde for) é de responsabilidade do PES.

5º- Por último, arrematando todo o rebanho com uma doutrina férrea, agora com transmissão via satélite, com alcance mundial, onde tudo passa a ser teleguiado diretamente do PES, como eles dizem, não se permite desviar (nem olhar) nem para a direita e nem para esquerda e, onde se coloca que, depois de Deus, vem a “Obra”, e onde se deve viver somente para a “Obra” e pela “Obra”, colocando-a, inclusive, acima da própria família, e quantas famílias eu não presenciei se acabarem ao entrarem em conflitos devidos aos “rigores doutrinários” que em vez de semearem a paz e a união das famílias, levavam era discórdias para os lares. Onde até uma simples festa de aniversário familiar era mal vista, principalmente se nem todos os familiares eram membros da ICM. O rigor doutrinário imposto pela PES é de fazer inveja aos regimes totalitários já presenciados pela humanidade ao longo de sua história. É escravizador. Voc~e se torna escravo, não de Jesus, mas do PES. Quem vive e convive na ICM sabe muito bem do que eu estou falando.

CONCLUÍMOS, portanto que, com uma administração financeira altamente centralizada e sem transparência, sem prestação de contas dos recursos a quem quer que seja, somada ainda a um regime doutrinário fortíssimo, onde o controle da vontade de seus integrantes é realizado de forma eficiente e eficaz, como está sendo realizada, é realmente um bom negócio para um grupo sem escrúpulos onde conseguem enriquecer ilícitamente. Eles conseguem tudo isso, não trabalhando pelo Evangelho, à semelhança de Paulo, Pedro e João, mas corrompendo a mente das pessoas em nome de Deus. No final das contas tornam-se mercenários da Palavra e da consciência alheia, fazendo com que a ICM não seja nada diferente de muitas outras “igrejas” que existem por aí.  É, de fato, um negócio da “China”.”

Sei de algo que assusta o Diabo, encanta os crentes honestos e retine nos ouvidos até dos endurecidos de coração: se os que governam este rebanho perderam a vergonha, aqueles que os obedecem perderam o respeito por si mesmos.

Triste fim de “jornada de quarenta anos”.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/02/operacao-abafa-desvio-de-recursos/

Anúncios
comentários
  1. Jeso Odson da Silva disse:

    APSJC!

    Amados, de fato, as informações que temos tido acesso são deprimentes, contudo, não devemos esmorecer quanto a nossa fé no Senhor.

    Quando vim para a ICM, acreditava em tudo que me transmitiam como revelação, algum tempo depois, fui percebendo que não era bem assim, comecei a perceber que o conceito de minististério e pastoreio é ditatorial, quantas veses ví irmãos serem duros com suas esposas para mostrarem aos pastores que tinham o governo de suas casas e assim, transparecerem que preenchiam os requisitos para promoção.

    Porém, aqui, vivi as minhas primeiras experiencias com o Senhor, sei que o Senhor tem operado em muitas denominações, mas por enquanto, é aqui que me sinto bém.

    Homens falham em todos os lugares,.

    Sinceramente, esperava que o GG tivesse a ombridade de renunciar, pois por muito menos, ví pastores e demais irmão serem tidos como caídos, para mim, no conceito dele, hoje ele está na mesma condição a diferença é que não há ninguém acima dele para dicipliná-lo a não ser que o próprio Senhor o faça, na verdade creio que já está fazendo.

    Dizia ele, “se eu cair não vão atráz de mim”, falácia, ele não vai cair nunca, pelo menos na concepção dele.

    Dizem alguns que a ICM é dele, estou começando a acreditar.

    É incível como um ser humano pode ser tão pretensioso, quinta feira passada no Maanaim de São Paulo ele só faltou falar que era Moisés, pregou a rebelião de Coré fazendo menção dos pastores que se rebelaram contra a “obra” e chamou os pastores que sairam para denominações que pagam proventos de Balaão.

    Interessante é que Balaão foi comissionado Balaque, principe de Moabe para amaldiçoar ao povo do Senhor, só quero lembrar que o Povo do Senhor, não está limitado por placas de denominações, e, se tem uma pessoa que amaldiçoa a outras denominações é o GG, já faz muito tempo que não vejo uma pregação dele que não seja para falar mal da “religião”, lembrando que no seu conceito, tudo que não é ICM, é religião.

    • Jeso Odsen da Silva disse:

      Ouví dizer que o GG e a pastora Sara foram barrados no Maanaim do Rio de Janeiro, alguém sabe afirmar se isso procede.

      • Amado,
        as informações mais atuais sobre GG é que ele e parte da familia estão fugindo para os Estados Unidos para Miami aonde ele e outros “pastores” íntimos dele mantem suas mansões á beira mar. Bom – vamos aguardar os satélites transmitirem…

        PAZ

    • Eu concordo com o irmão, realmente via a ICM como um quartel. Não adaptei-me a doutrina deles, porque vc não pode opinar, falar o que pensamos em favor da obra de Deus. Não Confio numa obra que não ama em primeiro lugar. Penso que igreja é como um hospital, quem entra precisa ser amado e tratado… Paz esteja com aqueles que insistem em permanecer sobre o cabresto…

  2. […] igreja cristã maranata (gedelti gueiros) usando laranjas para se esconder […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s